Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Triumph, ícone de duas rodas, volta ao país (mais barata)

<p>A tradicionalíssima fabricante britânica de motocicletas se ausentou do Brasil por dois anos. Agora, abre concessionária – e com modelos montados por aqui</p>

Por Marcelo Goto Atualizado em 11 jan 2022, 22h19 - Publicado em 12 nov 2012, 09h05

A clássica Bonneville T100 custará a partir de 29.900 reais. Já a Rocket II Roadster sairá por 69.900. Fabricante quer vender cerca de 2.000 motos no país no ano que vem

Elvis Presley, Clint Eastwood e Bob Dylan adoravam suas Bonneville T120. Marlon Brando apareceu no clássico O Selvagem (1953) com uma Thunderbird 650cc. E Steve McQueen usou sua TR6 Trophy nas cenas mais memoráveis de Fugindo do Inferno, de 1963 (assista nos vídeos abaixo). Agora, os fãs brasileiros de motocicletas também poderão ter uma delas – e pagando um preço mais acessível do que antes. Uma das marcas mais emblemáticas e tradicionais do mundo das motos, a Triumph está de volta ao país. E voltou com tudo. Após dois anos de ausência, a fabricante britânica retornou oficialmente no sábado, com a abertura de sua primeira concessionária, no Itaim, Zona Sul de São Paulo. O cardápio para os adeptos da marca será bem variado: serão seis modelos, três produzidos no Brasil (na nova fábrica da marca instalada em Manaus), e mais três importados. A clássica Bonneville T100 e a aventureira Tiger 800XC já estão sendo montadas por aqui, em regime CKD (sigla para completely knock-down, modalidade de produção em que a motocicleta é enviada em partes separadas ao país de destino), e custam 29.900 e 39.900 reais, respectivamente.

Leia também:

Leia também: No Rio, o estilo Harley-Davidson, mesmo debaixo de sol

Segundo a Triumph Brasil, a Speed Triple (42.900 reais) e a Daytona também serão produzidas no Amazonas a partir de maio do ano que vem. As importadas Thunderbird Storm (49.900 reais), Tiger Explorer (62.900 reais) e Rocket III Roadster (69.900 reais) também já podem ser encomendadas. Todas vêm com freios ABS de série, com exceção da Bonneville, que não dispõe do equipamento. A expectativa dos executivos da Triumph é de que perto de 200 motos sejam vendidas até o fim deste ano. Para o ano que vem, o volume deverá ser multiplicado por dez. “Para 2013 esperamos vender pelo menos 2.000 unidades”, garante Marcelo Silva, gerente geral da Triumph Brasil. Desse total, segundo o executivo, os modelos “nacionais” responderão por cerca de 70% do total de vendas, sendo a Tiger 800XC o carro-chefe, responsável por metade das unidades comercializadas. A outra metade deverá ser dividida entre a Bonneville e a Speed Triple. Para Marcelo Silva, trazer de volta a Triumph ao mercado brasileiro e oferecer, logo de início, seis modelos ao consumidor está longe de ser uma estratégia ousada. “A Triumph possui 23 modelos diferentes. Portanto, não trouxemos uma gama tão grande assim. Eu gostaria até de poder trazer mais modelos. Nosso investimento tem até um perfil conservador”, explica o gerente.

Leia também:

Leia também: Os supercarros de James Bond em 50 anos no cinema

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

“Há muitos anos a Triumph desejava vir para o Brasil. Há dois anos a empresa começou a estudar com mais seriedade a hipótese de se instalar aqui”, explica ele. Antes, entre 2006 e 2010, a marca era representada no país pelo Grupo Izzo. Neste período foram vendidas cerca de 1.500 motocicletas, dos modelos Daytona e Tiger. Além da linha de montagem na Zona Franca, que emprega cerca de 50 funcionários, a marca possui um centro de distribuição de peças em Louveira, no interior de São Paulo, e um centro de treinamento na capital paulista. Toda essa estrutura exigiu da Triumph um investimento de aproximadamente 19 milhões de reais. Acredita-se que a popularidade da marca entre os apaixonados pelas duas rodas será capaz de garantir o retorno da aposta. Nos anos 1950 e 1960, a Triumph superava até a Harley-Davidson como símbolo de estilo e rebeldia. Depois de uma grave crise que ameaçou enterrar a marca, a Triumph voltou com força nos últimos anos, superando a Ducati no ranking das maiores montadoras de motos da Europa – está em segundo lugar no ranking geral, atrás só da BMW. Em seu retorno aos holofotes, conquistou novos fãs entre as celebridades – Ewan McGregor, Brad Pitt e até o príncipe Harry já foram vistos numa Triumph.

‘O Selvagem’

https://youtube.com/watch?v=INhoLdRyDaw%3Frel%3D0

Lançado em 1953, o filme que ajudou a transformar Marlon Brando num mito do cinema tinha motos Triumph em ação. O personagem de Brando usava uma Thunderbird 650 cc

‘Fugindo do Inferno’

https://youtube.com/watch?v=coWCkAOkQ0U%3Frel%3D0

Steve McQueen usou uma Triumph TR6 Trophy em sua memorável cena de fuga dos soldados nazistas que o perseguiam no clássico filme lançado em 1963. McQueen era fã incondicional das motos da montadora britânica

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade