Clique e assine a partir de 9,90/mês

Tricolores veem injustiça na Vila Belmiro e Souza chia com juiz

Por Da Redação - 24 ago 2011, 23h24

Quase todos os jogadores do Fluminense deixaram o campo da Vila Belmiro lamentando as chances desperdiçadas e detectando injustiça na derrota por 2 a 1 para o Santos, em jogo atrasado da oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Houve até quem reclamasse da arbitragem, como o meia Souza, que começou no banco e substituiu Marquinho no intervalo.

‘Tivemos pênaltis que o juiz não deu, bola que o cara salvou em cima da linha… Jogamos contra uma das melhores equipes do campeonato e mostramos que temos qualidade. Vamos melhorar muito’, declarou o apoiador, sem especificar os lances que lhe incomodaram.

A única jogada que rendeu reclamações durante a partida aconteceu aos 29 minutos do segundo tempo. Após falta cobrada por Rafael Sobis, Gum ficou com a bola na linha de fundo e cruzou para Edinho, que não acertou a bola e perdeu ótima chance. Na viagem da bola até o volante, os tricolores viram toque de mão do zagueiro Edu Dracena, que estava caído.

O Santos também reclamou de um pênalti no primeiro tempo, quando Elano tentou passar para Ganso dentro da área e a bola bateu na mão de Digão.

Continua após a publicidade

Já o lance em que os santistas tiraram a bola ‘em cima da linha’ aconteceu com 12 minutos da segunda etapa: Carlinhos recebeu cruzamento de Mariano e, com Rafael caído, bateu rasteiro para que Danilo aparecesse na hora certa e evitasse o segundo gol carioca.

Lances como esse irritaram o time, que não seguiu pelo mesmo caminho de Souza e sequer citaram a arbitragem de Paulo Godoy Bezerra após o jogo. ‘Acho que o Fluminense merecia um resultado melhor. Infelizmente não fizemos os gols nas oportunidades que tivemos’, lastimou Carlinhos.

‘Corremos, nos empenhamos ao máximo, mas pecamos. Isso nos custou o resultado, o que foi uma pena, porque viemos pensando em vencer’, complementou o zagueiro Gum, menos irritado que o atacante Rafael Moura, autor do gol do Flu. ‘Não adianta nada (marcar gol) se nós sairmos derrotados. Perde o time inteiro, ganha o time inteiro’, resmungou.

Publicidade