Clique e assine com até 92% de desconto

Tricolor recebe R$ 1,4 milhão do Inter e libera Dagoberto antecipadamente

Por Da Redação 22 dez 2011, 12h05

As negociações entre São Paulo e Internacional que visavam a liberação antecipada de Dagoberto finalmente foram concretizadas nesta quinta-feira. O Tricolor recebeu uma oferta de R$ 1,4 milhão dos gaúchos e aceitou liberar o atacante em janeiro, quando será a reapresentação do elenco Colorado.

O grande impasse nas conversas entre os dois clubes era com relação à quantia que seria paga para viabilizar a vinda de Dagoberto antes do encerramento de seu vínculo com a equipe paulista. O jogador tinha contrato com o São Paulo até abril de 2012 e não poderia integrar o plantel do Inter antes do aval da diretoria.

Entretanto, os gaúchos mantiveram-se irredutíveis durantes as conversas e chegaram a afirmar que não pagariam nenhum valor que ultrapassasse os R$ 500 mil. Após inúmeras reuniões entre os representantes dos dois times e diversas propostas e contrapropostas apresentadas, os dirigentes das equipes conseguiram chegar a um acordo e o avançado poderá disputar o Campeonato Gaúcho com a camisa colorada.

‘O Fernandão (hoje dirigente do clube gaúcho) deixou amigos pelo São Paulo e uma ótima relação. Com sua chegada ao Inter, o diálogo se aproximou. Foi bom para todos. O Inter chegou próximo da nossa pedida. Está pagando 1,4 milhões de reais pela rescisão antecipada. Além disso, o São Paulo economiza em torno de 800 mil reais entre salários e encargos, o que dá um montante de 2,2 milhões’, destacou Adalberto Baptista, diretor de futebol do Tricolor.

Nos cinco anos que esteve no São Paulo, Dagoberto disputou 241 partidas, marcando 61 gols. O atacante teve papel fundamental na conquista dos Campeonatos Brasileiros de 2007 e 2008, mas não conseguiu desempenhar um bom futebol na última temporada e acabou optando por deixar o clube perto do término de seu contrato.

‘O Dagoberto foi bicampeão brasileiro e deixou sua história no São Paulo. É um excelente jogador e mostrou profissionalismo do começo ao fim de sua passagem. Desejamos a ele toda a sorte em sua carreira’, finalizou Adalberto Baptista.

Continua após a publicidade
Publicidade