Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Tricolor joga atento à velocidade ofensiva e falha aérea do Timão

Por Da Redação 21 set 2011, 07h46

Os defensores do São Paulo entrarão em campo com duas tarefas especificas para ajudar o time diante do Corinthians. No Morumbi, Rhodolfo e João Filipe, altos zagueiros dos anfitriões, precisaram mostrar agilidade para segurar os velozes atacantes adversários. Ao mesmo tempo, podem usar sua estatura para se aproveitar da falha marcação alvinegra nas jogadas aéreas.

Os próprios corintianos atribuíram a derrota para o Santos, no último domingo, a um vacilo na bola parada, especificamente de Willian, que deixou Henrique livre para empatar e fazer o primeiro gol da virada do clube praiano no Pacaembu. Pelo alto, os são-paulinos estão certos de que poderão se dar bem com o assumido erro do Timão nestas jogadas.

‘Vamos focar a bola parada para tentarmos fazer os gols e procurar nos defender’, contou Rhodolfo, até eximindo os defensores do rival de culpa. ‘Eles levaram gols de bola parada, assim como o nosso time também às vezes falha, mesmo sendo altos. E não são só os zagueiros, são quatro, cinco que precisam marcar’, argumentou.

A maior preocupação do sistema defensivo do Tricolor, porém, está em segurar atletas que aliam rapidez e eficiência nas finalizações, como Willian e Liedson, os únicos dois nomes garantidos no ataque escalado por Tite para o Majestoso desta quarta-feira. A receita é concentração durante os 90 minutos.’Em alguns jogos, temos entrado meio desligados, desatentos. Contra o Corinthians, precisamos entrar 100% focados, ligados, pensando bastante nos jogadores deles’, receitou Rhodolfo. ‘Olho muito o ataque deles. Eles são muito rápidos e inteligentes, têm jogadores de nomes. Mas sabemos as suas características.’

A esperança de sucesso na tentativa de anular a força ofensiva do arquirrival está no primeiro encontro entre os clubes nesta temporada, quando o São Paulo ganhou por 2 a 1, na Arena Barueri, na partida que ficou marcada pelo centésimo gol de Rogério Ceni – Dentinho, hoje no Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, descontou para os corintianos.

‘Não sabemos quem vai jogar, mas o Adilson passa os possíveis jogadores deles e vamos nos preocupar com todos. O Liedson, por exemplo, é um excelente atacante, rápido como todos os atacantes do Corinthians. Mas joguei contra ele no Paulista e ganhamos por 2 a 1’, lembrou Rhodolfo.

Continua após a publicidade
Publicidade