Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Torcida não lota Scarpelli, mas ‘arrepia’ jogadores do Figueira

Por Da Redação 12 nov 2011, 21h31

O Figueirense não perde há 13 jogos, soma seis vitórias consecutivas, briga por uma vaga na Libertadores – e até pelo título -, mas os 19.069 lugares do Orlando Scarpelli não foram completamente ocupados. Pouco mais de dez mil torcedores (10.271) assistiram à virada do Alvinegro sobre o Atlético-MG neste sábado. Os jogadores confessaram que esperavam um número maior, porém fizeram questão de valorizar o apoio vindo das arquibancadas.

‘Saímos atrás e a torcida não deixou de acreditar. A gente está feliz com os que vieram, mas espera que no próximo jogo o Scarpelli seja um caldeirão. Precisamos desse apoio’, declarou o lateral Bruno, que foi acompanhado pelo atacante Júlio César. ‘A torcida tem apoiado. O estádio podia estar mais cheio, mas quem veio incentivou. A gente dedica essa vitória a eles e pede que lotem o estádio da próxima vez’.

Durante a semana, o Figueirense lançou uma campanha intitulada ‘Sí, se puéde’ com o objetivo de incentivar a torcida a lotar o estádio na reta final. O clube ainda lançou uma camisa com a frase estampada e os jogadores fizeram coro e pediram a presença dos torcedores. Apesar de a primeira resposta não ter sido a esperada, os atletas valorizaram quem foi ao Scarpelli neste sábado, creditando a eles a virada sobre o Galo.

‘Estamos em um momento maravilhoso, conseguimos virar e devemos agradecer à torcida. Não precisamos de um estádio 100% lotado, mas sim de torcedores que empurrem até o final’, opinou Túlio. ‘Esse apoio arrepia e os jogadores precisam sentir essa emoção para se tornarem campeões’, completou Helder.

O técnico Jorginho foi ainda mais incisivo nos elogios aos torcedores. ‘Eu quero ressaltar esses 10 mil que estiveram aqui. Era como se tivessem 50 mil. Hoje eu senti a torcida realmente apoiando, em todos os momentos, não reclamaram de nada, de substituição, quando estávamos perdendo. Eu nunca tinha visto a torcida do Figueirense dessa forma, eles foram o nosso 12jogador’, declarou o treinador, que ainda não pareceu se importar se o Orlando Scarpelli estará cheio nos próximos jogos (Fluminense e Corinthians).

‘Se vai lotar ou não eu não sei, mas eu quero esses 10 mil que estiveram hoje aqui. Se outros quiserem vir, sejam muito bem-vindos’. Ao final da partida diante do Atlético-MG, Jorginho reuniu os jogadores no meio-campo e agradeu aos torcedores, que, em festa, demoraram para deixar as arquibancadas do Scarpelli.

Continua após a publicidade
Publicidade