Clique e assine a partir de 9,90/mês

Torcedores do PSV podem ser punidos por humilhação a mendigas em Madri

Seis holandeses foram detidos por transtornos causados na capital espanhola antes da eliminação do time na Liga dos Campeões diante do Atlético de Madri

Por Da Redação - 16 mar 2016, 16h57

O clube holandês PSV Eindhoven deu vexame na Liga dos Campeões, não pelo que fez dentro de campo – foi eliminado nos pênaltis, nas oitavas de final, pelo Atlético de Madri -, mas pelo que seus torcedores fizeram durante a passagem pela capital espanhola na terça-feira. Horas antes do jogo, que terminou empatado em 0 a 0, um grupo de fãs da equipe humilhou mendigas na Plaza Mayor, um dos principais pontos turísticos de Madri. Para piorar, seis holandeses foram detidos acusados de “desordem pública, destruição de propriedade, danos corporais a terceiros e resistência à prisão”.

Durante a tarde, um grupo de jovens tripudiou de ciganas que pediam dinheiro em frente a restaurantes da Plaza Mayor ao atirar moedas e notas de euro no chão. Os holandeses gargalharam ao ver as pedintes brigando pelo dinheiro, em cena que causou grande repercussão nas redes sociais e também em entidades e órgãos do governo. Segundo informações do diário espanhol As, o Movimento contra a Intolerância da Espanha pediu que a Promotoria de Crimes de Ódio do país aplicasse punições aos responsáveis.

A Fundação Secretariado Cigano da Espanha também repudiou os fatos e cobrou punições. A organização transmitirá sua queixa à Embaixada da Holanda e ao PSV Eindhoven, que “tem a responsabilidade de fazer com que seus torcedores não vulnerem os direitos das pessoas em nenhum lugar do mundo”. A entidade também exigiu que o Conselho Superior de Esportes solicite a aplicação do Código Disciplinar da Uefa, que prevê sanções quando “for insultada a dignidade humana de uma pessoa ou grupo de pessoas por qualquer motivo, incluindo a cor de pele, raça, religião ou origem étnica”.

Além da humilhação às ciganas, torcedores do PSV ainda causaram vários distúrbios nos arredores da Porta do Sol. Vários carros foram danificados e pedestres foram agredidos, o que resultou na detenção de seis torcedores. A embaixada holandesa na Espanha lamentou profundamente a atitude dos torcedores e afirmou que “se distancia taxativamente do comportamento demonstrado por um grupo pequeno de pessoas que estragou o que deveria de ser a festa do futebol”.

Continua após a publicidade

O PSV se pronunciou oficialmente nesta quarta-feira. O diretor Toon Gerbrands tentou desvincular o nome do clube dos incidentes “desagradáveis” e garantiu que serão tomadas medidas apropriadas. “A atitude destes torcedores não corresponde aos valores promovidos pelo PSV. O clube tomará as medidas adequadas, entre as quais podem figurar a proibição de acesso ao estádio e sanções mais severas. Quero deixar registrado que não queremos ter nada a ver com estas pessoas”, afirmou Gerbrands, em breve comunicado disponibilizado no site oficial do clube.

Leia também:

Futebol: onda de violência de torcedores choca a Europa

Torcedores do Feyenoord depredam centro de Roma e são detidos

Continua após a publicidade

Racismo de torcedores do Chelsea choca Europa; vítima pede prisão dos agressores​

(Da redação)

Publicidade