Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Torcedores do Flu comemoram volta à série A como um gol

Tricolores e torcedores da Lusa trocaram provocações enquanto esperavam a decisão do STJD, que rebaixou a Portuguesa. Policiais separavam os grupos

“O campeão voltou! O campeão voltou!” Foi assim – como se o clube tivesse ganhado um título com um gol decisivo – que torcedores do Fluminense comemoraram a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) nesta segunda-feira, que rebaixou a Portuguesa e manteve o tricolor carioca na série A do Campeonato Brasileiro. O grupo beneficiado gritava também o nome de Héverton, o jogador escalado de forma irregular que provocou a perda de quatro pontos ao clube paulista.

A Rua da Ajuda, uma pequena via no Centro do Rio onde está localizada a sede do STJD, foi totalmente tomada por torcedores dos times carioca e paulista desde o início da tarde desta segunda. Enquanto advogados, auditores e dirigentes decidiam, no 15º andar do número 35, se a Portuguesa seria punida, um cordão de isolamento formado por policiais separava os dois grupos, que passaram quase duas horas trocando provocações.

Leia também:

Leia também: Portuguesa cai e Fluminense volta à Série A

“Não é mole, não. Caiu no campo quer subir no tapetão”, cantavam os paulistas, que chegaram em um ônibus fretado pelo clube e receberam apoio de flamenguistas. Havia ainda uma esperança, até que, pouco antes das 19 horas, o presidente da 1ª Comissão Disciplinar do STJD, Paulo Valed Perry, concluiu a votação que rebaixou a Lusa. Choro compulsivo de um lado, gritos de felicidade de outro.

O advogado do Fluminense, Mário Bittencourt, desceu as escadarias do prédio do STJD e foi saudado como um artilheiro. “Quem é esse jogador?”, perguntou uma senhora, que parou para ver a movimentação. Apesar do policiamento reforçado – que contou com nove carros da Polícia Militar e cerca de 50 PMs do Grupamento de Policiamento de Estádios (GEPE), do 5º BMP e do Grupamento Especial de Grandes Eventos – a agitação assustou alguns comerciantes, que fecharam parte das portas.

Inconformado com a decisão, o adolescente Gabriel Lourenço, de 15 anos, era amparado por companheiros. “O Fluminense não teve competência no campo e venceu no tribunal”, protestava. Presidente recém-eleito do clube, Ilídio Lico abraçou os torcedores, pediu calma aos mais jovens e afirmou que vai entrar com recurso. “Estou muito nervoso. Foi uma decisão muito triste. O Fluminense entrou pela porta dos fundos. Isso é uma vergonha”, disse, enquanto caminhava em direção ao ônibus que levaria a torcida de volta a São Paulo. O coletivo foi escoltado por uma viatura da PM até a Rodovia Presidente Dutra, principal ligação rodoviária entre os estados do Rio e São Paulo.

Leia também:

Atletas da Portuguesa vão ao julgamento no STJD, no Rio

Antes da decisão, procurador do STJD ataca a Portuguesa

Auditor revela voto e é retirado do julgamento da Portuguesa

STJD aguarda notificação que poderá salvar o Fluminense

STJD nega recurso e confirma Vasco na Série B