Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Torcedor violento argentino comemora entrada no Itaquerão

Em seu perfil no Facebook, Pablo Álvarez, líder de uma torcida organizada, debocha da Polícia Federal de seu país e mostra vários ingressos para a Copa

Pablo Álvarez, líder dos barra bravas Los Diablos Rojos Pablo Álvarez, líder dos barra bravas Los Diablos Rojos

Pablo Álvarez, líder dos barra bravas Los Diablos Rojos (/)

Pablo Álvarez, líder de uma das facções mais violentas de torcedores argentinos – os chamados barra-bravas -, acompanhou a partida entre Argentina e Suíça, terça-feira, no Itaquerão, em São Paulo, disfarçado de torcedor suíço. Em seu perfil no Facebook, Álvarez comemorou o feito. “Quero agradecer a confiança que depositaram em mim. Conseguimos os ingressos para fazer Bebote (seu apelido) 2 x 0 Polícia Federal Argentina. Haha, o barra mais inteligente do mundo.” O torcedor já havia assistido ao jogo entre Argentina e Nigéria, na última quarta-feira, em Porto Alegre, no Beira-Rio – vitória sul-americana por 3 a 2. Ele chegou a ser flagrado pelas câmeras de televisão no estádio.

Leia também:

Torcida nota zero: sul-americanos dão mau exemplo no Rio

Baderneiros argentinos são denunciados pelo MP

Líder dos barra-bravas Los Diablos Rojos, do Club Atlético Independiente, Pablo Álvarez está na lista de torcedores com antecedentes violentos, criada em cooperação por policiais brasileiros e argentinos, que não poderiam ver os jogos da Copa. A lista inicial tinha 2.100 nomes e, nos últimos dias, ganhou outros 434. Além de mostrar fotografias da maquiagem utilizada para se transformar em um torcedor suíço, Álvarez também mostra um grande número de ingressos para jogos da Copa em seu perfil no Facebook.

Pablo Álvarez, líder dos barra bravas Los Diablos Rojos Pablo Álvarez, líder dos barra bravas Los Diablos Rojos

Pablo Álvarez, líder dos barra bravas Los Diablos Rojos (/)

Leia também:

Torcedor da cidade de Messi é deportado por violência

Polícia vai barrar 2.100 torcedores brigões argentinos nos estádios da Copa

A Polícia Federal informou que Álvarez está sendo procurado e será deportado quando for localizado. Até o momento, 33 torcedores argentinos foram identificados e deportados – 31 deles quando tentavam entrar no Brasil e outros dois foram identificados no Mineirão, no jogo entre Argentina e Irã.

Festa argentina em Copacabana

Torcedores se reúnem na Avenida Atlântica, em Copacabana.

Carnaval de torcedores argentinos depois do jogo no Maracanã

Após a vitória sobre a Bósnia, torcedores voltaram à orla da Zona Sul.

PM desocupa Avenida Atlântica com spray de pimenta

Policiais militares usaram spray de pimenta para liberar a pista da Praia de Copacabana, tomada por argentinos.

‘Maradona é maior do que Pelé’

Argentinos provocam brasileiros cantando que ‘Maradona é maior do que Pelé’.

(Com Estadão Conteúdo)