Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Torcedor da cidade de Messi é deportado por violência

Daniel Atardo, de 45 anos e morador de Rosário, foi barrado em Guarulhos; ele fazia parte da lista de "barrabravas" entregue pelo governo argentino

Enquanto a seleção argentina chegava a Belo Horizonte, a segunda-feira marcou também o primeiro contato das autoridades brasileiras com os famosos “barrabravas”, os torcedores violentos do país vizinho. Um deles, Daniel Atardo, de 45 anos, foi barrado no Aeroporto de Guarulhos e mandado de volta à Argentina.

Morador de Rosário, cidade onde nasceu Lionel Messi, Atardo foi identificado como “barrabrava” do Rosario Central, principal clube da cidade ao lado do Newell´s Old Boys. O torcedor fazia parte da lista entregue pelo governo argentino ao brasileiro com 2.100 nomes de pessoas com histórico de violência em estádios. Na relação, constava que o torcedor viajaria ao Brasil com a mulher.

Leia também:

Polícia vai barrar brigões argentinos dos estádios do Brasil

Mais de mil Barra Bravas devem vir ao Brasil para a Copa, diz jornal

Como o Black Bloc matou as manifestações

Os torcedores argentinos, porém, vão recorrer da decisão, e há uma advogada designada para o caso: Débora Hambo, que tentará reverter esta medida sempre que for negada a entrada de um torcedor argentino no Brasil.

Há expectativa de que muitos “barrabravas” cruzem fronteiras terrestres para acompanhar a estreia da Argentina na Copa – contra a Bósnia, às 19 horas de domingo, no Maracanã. Além da seleção europeia, a equipe de Messi enfrentará também Irã e Nigéria pelo grupo F.

(Com agência EFE)