Clique e assine com até 92% de desconto

Tóquio-2020: COI não fala em adiamento e pede que atletas sigam treinando

A quatro meses dos Jogos Olímpicos, o comitê anunciou uma série de medidas para a classificação de atletas à competição

Por Danilo Monteiro Atualizado em 17 mar 2020, 13h20 - Publicado em 17 mar 2020, 13h01

Na contramão das principais federações esportivas do mundo, o Comitê Olímpico Internacional segue ignorando a possibilidade de adiamento da Olimpíada de Tóquio-2020 apesar da pandemia de coronavírus. Em nota divulgada nesta terça-feira, 17, o COI se limitou a dizer que está atento à situação e incentivou atletas a seguirem treinando normalmente, apesar do adiamento de diversas competições, incluindo pré-olímpicos. O comitê informou que o ranking mundial e os resultados recentes serão levados em conta para preencher as vagas restantes, que correspondem a 43%.

As medidas surgem como uma forma de adaptar o calendário dos atletas, mas sem alterar a data dos Jogos, que estão marcados para o dia 24 de julho. Os quatro meses de distância ainda dão uma “margem de segurança” ao COI, que afirmou que não tomará medidas drásticas com relação à Olimpíada, ao menos por enquanto.

O COI permanece totalmente comprometido com os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e, com mais de quatro meses antes dos Jogos, não há necessidade de decisões drásticas nesta fase; e qualquer especulação neste momento seria contraproducente. O COI incentiva todos os atletas a continuarem se preparando para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 da melhor maneira possível. Continuaremos apoiando os atletas e fornecendo-lhes as informações e desenvolvimentos mais recentes”, comunicou o comitê.

  • O comitê adiou diversas competições pré-olímpicas nas últimas semanas em razão da pandemia de coronavírus, entre elas o handebol, polo aquático, boxe, badminton e outros. Apesar de não falar sobre adiamento dos Jogos Olímpicos, o presidente do COI, Thomas Bach, garantiu que a preocupação com os atletas é primordial para os membros da instituição.

    “A saúde e o bem-estar de todos os envolvidos nos preparativos para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 são a nossa principal preocupação. Todas as medidas estão sendo tomadas para priorizar a segurança e os interesses dos atletas, treinadores e equipes de apoio. Nós somos uma comunidade olímpica, nos apoiamos nos bons e nos tempos difíceis. Essa solidariedade olímpica nos define como uma comunidade”, declarou.

    Continua após a publicidade
    Publicidade