Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Thiago Pereira soma 23 pódios e se torna o maior medalhista da história do Pan

Mesmo sem disputar a final do revezamento 4x100m medley, o nadador levou o ouro e se tornou o maior medalhista da história dos Jogos Pan-Americanos

Mais do que nunca, Thiago Pereira pode se considerar o “Mr.Pan”. Mesmo sem disputar a final do revezamento 4x100m medley, o nadador levou o ouro, já que havia disputado a eliminatória na manhã, e se tornou o maior medalhista da história dos Jogos Pan-Americanos, com 23 láureas, ultrapassando o ex-ginasta cubano Érick López. “É maravilhoso estar vivendo tudo isto. Não foi uma coisa que veio do dia para a noite, foi algo que fui construindo pouco a pouco, ano a ano”, disse Thiago.

Na noite deste sábado, em Toronto, Arthur Mendes, Marcelo Chierighini, Guilherme Guido e Felipe França nadaram por Thiago e completaram a prova em 3min32s68, novo recorde pan-americano, 0s95 à frente dos Estados Unidos e 1s72 dos anfitriões.

No nado costas, Guido entregou para Felipe França fazer o peito com a primeira colocação, com os Estados Unidos logo atrás. Na sequência, Arthur Mendes executou bem o borboleta para Marcelo Chierighini completar a prova no estilo livre e garantir a décima medalha de ouro da natação brasileira em Toronto.

O recorde do cubano só não foi igualado antes porque Thiago foi desclassificado após ter vencido a prova dos 400m medley na última quinta-feira. Segundo a arbitragem da competição, o brasileiro infringiu a regra ao não bater as mãos simultaneamente na borda da piscina na troca do nado peito para o crawl. Após a decepção, Pereira alegou cansaço e dores e não disputou os 100m borboleta e 100m costas.

No Canadá, Thiago Pereira já havia conquistado o ouro no revezamento 4x100m livres, no 4x200m livres, a prata nos 200m medley e o bronze nos 200m peito. Em seu primeiro Pan, o brasileiro angariou uma prata e um bronze em Santo Domingo 2003. No Rio de Janeiro, em 2007, ele faturou seis douradas, uma prata e um bronze, enquanto em Guadalajara 2011 o carioca foi ao lugar mais alto do pódio em seis oportunidades. No México, ele ainda atingiria um segundo e terceiro lugares.

Leia mais:

Brasileiras faturam o penta na ginástica rítmica

Robert Scheidt conquista a prata e se despede do Pan

Bronzes – Nesta distância, o brasileiro Brandonn Almeida começou atrás, mas aos poucos foi aumentando o ritmo, se recuperou e ultrapassou Marcelo Acosta, de El Salvador, e conquistou o bronze, com o tempo de 15min11s70, recorde brasileiro da prova.

O vencedor foi o canadense Ryan Cochrane, completando os 1500m em 15min06s40, recorde do Pan-Americano. Com 15min23s91, Lucas Kanieski terminou apenas na sétima posição.

Esta foi a segunda medalha de Brandonn em sua primeira participação nos Jogos Pan-Americanos. Em Toronto, ele já havia levado o ouro nos 400m medley.

No revezamento 4x100m medley, Etiene Medeiros, Jhennifer Conceição, Daynara de Paula e Larissa Martins não conseguiram fazer frente aos Estados Unidos e Canadá e terminaram com o terceiro posto, marcando 4min02s52, 5s99 atrás das norte-americanas e 1s98 das anfitriãs.

Isso posto, o Brasil termina sua participação na natação do Pan de Toronto em segundo lugar, com dez ouros, seis pratas e dez bronzes. Os Estados Unidos ficaram em primeiro, com 11 douradas, enquanto o Canadá terminou em terceiro, com oito.

(Com Gazeta Press)