Clique e assine a partir de 8,90/mês

Thiago Pereira cansa, fatura bronze e adia recorde

Por Da Redação - 18 out 2011, 22h55

Por AE

Guadalajara – Ainda não foi desta vez que Thiago Pereira conquistou o seu décimo ouro pan-americano e se igualou em conquistas a Hugo Hoyama, por enquanto recordista brasileiro. Nesta terça-feira, o nadador sentiu o cansaço e ficou apenas com a medalha de bronze na disputa dos 200 metros peito, derrotado pelos dois norte-americanos que nadaram a prova. Outro brasileiro na final, Tales Cerdeira ficou em quinto.

Thiago Pereira virou na frente dos rivais nas três primeiras batidas, mas acabou sendo facilmente ultrapassado nos 50 metros finais, completando a prova em 2min13s58. O norte-americano Sean Mahoney faturou o ouro com 2min11s62, novo recorde da competição. Christopher Burckle ficou com a prata. Ele também nadou abaixo do antigo recorde, que durava desde 2003.

Ao fim da prova, Thiago Pereira reclamou do cansaço. “Está começando a pesar, já. É uma maratona e eu não estou conseguindo recuperar de um dia para o outro. Vai ser a última que vou fazer essa maratona louca”, disse o brasileiro, que já caiu na piscina sete vezes em Guadalajara e conquistou três ouros e um bronze. Ele ainda vai nadar outras quatro provas: duas individuais e dois revezamentos.

A primeira medalha do Brasil no Centro Aquático nesta terça-feira foi de Joana Maranhão, terceira colocada nos 200 metros medley. A brasileira faturou o bronze ao nadar a distância em 2min15s08. O ouro ficou com Elizabeth Smith, dos EUA, e a prata com a jamaicana Alia Atkinson.

Apesar do cansaço, Joana Maranhão voltou para a piscina pouco mais de uma hora depois, para abrir o revezamento 4×200 metros livre do Brasil. O time que teve também Jessica Cavalheiro, Manuella Lyrio e Tatiana Lemos ficou com a prata ao fechar a prova em 8min09s89, atrás apenas dos EUA, medalhistas de ouro com 8min01s18. O bronze ficou com o México. Ao fim da prova, as brasileiras dedicaram a conquista a Ana Carolina Santos, que era reserva do revezamento e acabou cortada pela organização do Pan, quando já estava em Guadalajara, por falta de espaço na Vila Pan-Americana.

Nos 200 metros livre, brasileiros e norte-americanos decepcionaram e deixaram de subir ao lugar mais alto do pódio pela primeira vez na natação do Pan. Ouro e prata ficaram com as Ilhas Cayman, com os irmãos Brett e Shaune Fraser. Ambos bateram o recorde da competição, que era do brasileiro Gustavo Borges desde 1995. O bronze ficou com o paraguaio Benjamin Hockin. Esta foi a sexta medalha do Paraguai na história dos Jogos Pan-Americanos. O único brasileiro na final, André Schultz terminou na sétima posição.

Representante do Brasil nos 1.500 metros, Lucas Kanieski ficou apenas na quinta colocação. No pódio da disputa mais longa na piscina, ouro para Arthur Frayler, prata para Ryan Feeley, ambos dos EUA, e bronze para Juan Martin Pereyra, a primeira medalha da Argentina na natação.

Continua após a publicidade
Publicidade