Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Tênis: Britânico é suspenso por um ano pelo uso de cocaína

Daniel Evans admitiu ter usado a droga, mas apenas em período fora de competição. Ele alegou "descuido" e teve pena amenizada pela ITF

Por Da redação 3 out 2017, 16h36

Membro da equipe da Grã-Bretanha que conquistou o título da Copa Davis em 2015, Daniel Evans foi suspenso por um ano nesta terça-feira após testar positivo para cocaína em exame antidoping. O tenista admitiu o uso da droga, mas apenas fora do período de competições. Ele alegou ter sido contaminado por um descuido, tese aceita pelas autoridades.

Ao anunciar a punição, a Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês) explicou que aceitou o argumento de que  o”consumo inadvertido” de cocaína foi o responsável pelo resultado positivo no exame antidoping realizado em abril, durante a disputa do ATP 500 de Barcelona.

Evans, 108º colocado do ranking da ATP, explicou a uma comissão da ITF que usou uma “pequena quantidade” de cocaína fora do período de competições. Ele então teria colocado a droga em uma pequena bolsa de viagem que também continha uma medicação legalizada, ingerida por ele durante o Torneio de Barcelona. A entidade aceitou o argumento de que os dedos ou a medicação de Evans foram contaminados por resíduos de cocaína.

  • Assim, o britânico de 27 anos ficará suspenso do tênis até 23 de abril de 2018. Ele também perdeu 103.000 euros (aproximadamente 383.000 reais) em premiações e os pontos no ranking dos torneios que disputou entre o final de abril e junho.

    “O senhor Evans teve concedido crédito por sua pronta admissão”, afirmou a ITF, que também destacou o “tempo e as despesas economizados ao se chegar se chegar a um acordo” ao invés de ser realizada uma audiência para o julgamento do ex-Top 50 do ranking da ATP.

    (Com Estadão Conteúdo)

    Continua após a publicidade
    Publicidade