Clique e assine a partir de 9,90/mês

Temporal alaga Maracanã e Fifa cancela visita ao estádio

Na terça, Jérôme Valcke manifestou sua preocupação com atraso nas obras

Por Da Redação - 6 mar 2013, 11h25

“A cidade que mais nos preocupa é a que vou a visitar dentro de dois dias”, avisou Valcke na terça, antes do cancelamento da ida ao Maracanã

A forte chuva que caiu sobre o Rio de Janeiro na noite de terça-feira alagou vários pontos da cidade e causou muitos transtornos. O Estádio do Maracanã, uma das sedes da Copa das Confederações e da Copa do Mundo de 2014, amanheceu alagado, com máquinas submersas. Em função dos problemas, a visita do Comitê Organizador Local (COL) às obras, que aconteceria na quinta-feira, foi cancelada. O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, que está no Brasil inspecionando o andamento das obras, mostrou-se preocupado com a evolução do Maracanã. Em entrevista concedida durante a visita à Arena Pernambuco, na terça-feira, ele não conseguiu esconder sua apreensão. E a preocupação pode aumentar ainda mais, já que os efeitos da chuva devem atrasar ainda mais os trabalhos.

Leia também:

Maracanã: governo aceitará pagamento anual ainda menor

Continua após a publicidade

Maracanã tem risco real de não ficar pronto dentro do prazo

Museu do Índio do Rio será transformado em Museu Olímpico

Clubes são barrados na licitação para administrar Maracanã

O estádio carioca, palco da final da Copa das Confederações deste ano, está com 87% das reformas concluídas, e atualmente passa pela fase de colocação da cobertura e das cadeiras na arquibancada. “A cidade que mais nos preocupa é a que vou a visitar dentro de dois dias”, disse ele, em referência ao Rio. O gramado no qual será disputada a final da Copa do Mundo de 2014, hoje usado como base para as obras, ficou coberto pela água. Alguns guindastes e tratores utilizados nas obras também ficaram cercados de poças. Na cobertura de lona que os operários começaram a montar no mês passado, a concentração de água ameaçava a segurança da estrutura. Operários subiram ao local para retirar, com baldes, a água acumulada na cobertura.

Continua após a publicidade

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

De acordo com as autoridades do Rio, a reforma do estádio está 87% concluída e a previsão é de que o estádio possa ser entregue em maio – para Valcke, uma data próxima demais da abertura do torneio, em junho. “Não existe um estádio melhor que o outro. Nenhum estádio vai estar 100% no início, todos precisam de ajustes. Maio é tarde demais. Isso é prejudicial para o Brasil, para a competição e para a Fifa”, avisou o francês, citando o mês em que todas as arenas devem estar sob controle da Fifa. Nesta quarta, a comitiva da Fifa e do COL visitará o Mineirão. O estádio teve suas obras concluídas no fim de 2012 e foi reaberto no dia 3 de fevereiro, com o clássico entre Atlético-MG e Cruzeiro.

(Com agências Gazeta Press e EFE)

Publicidade