Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Temendo prisão, Blatter recusa convite para a festa de 100 anos de Havelange

O suíço não irá à comemoração por recomendação de seus advogados, que aconselharam o ex-presidente a não deixar a Suíça para evitar uma possível extradição aos Estados Unidos

O ex-presidente da Fifa Joseph Blatter não vai ao aniversário de cem anos de seu mentor e também ex-mandatário da entidade, o brasileiro João Havelange, que completa um século de vida no próximo domingo. A jornalistas estrangeiros, Blatter explicou que seus advogados o recomendaram que não deixasse a Suíça enquanto sua situação legal não estivesse resolvida. O risco era de que, ao deixar o país, ele pudesse ser extraditado aos Estados Unidos. O suíço de 80 anos foi suspenso pelo Comitê de Ética da Fifa por oito anos (depois teve sua pena reduzida para seis) de qualquer atividade relacionada a esporte por suspeitas de irregularidades em sua condução na entidade.

“Meus advogados disseram: por favor, enquanto houver algo contra você, fique na Suíça. A Suíça nunca vai te entregar”, explicou. Desde que os escândalos da Fifa estouraram em maio do ano passado, Blatter deixou o país em apenas uma ocasião para uma visita ao presidente da Rússia, Vladimir Putin. Walter Gagg, um dos diretores da Fifa, irá representar a entidade na festividade de João Havelange.

LEIA TAMBÉM:

Fifa cobra indenização de R$ 20 milhões de Del Nero, Marin e Teixeira por danos à reputação da entidade

Voto para sede da Copa de 2010 custava US$ 7 mi, acusa Egito

Alemanha pede ajuda à Suíça em investigação sobre suspeita de compra de votos

Comando da Fifa – Joseph Blatter ficou 17 anos na presidência da Fifa (de 1998 a 2015) e sua vida não teria sido a mesma sem a ajuda do cartola brasileiro. Havelange, que ficou no comando da entidade máxima do futebol por 24 anos (entre 1974 e 1998), apadrinhou o suíço logo nos primeiros anos de mandato e o introduziu na entidade. Ao passar dos anos, Blatter tornou-se o braço direito do brasileiro. No entanto, em 2013, a ligação de João Havelange com a Fifa acabou: ele renunciou ao cargo de presidência de honra da organização, diante das revelações de que na década de 1990 recebeu milhões de dólares em propina da empresa de marketing esportivo ISL, em troca de contratos de transmissão para a Copa do Mundo.

João Havelange ao deixar a presidência da Fifa, em congresso da entidade, na França, em 1998; ao seu lado, Joseph Blatter, que era secretário-geral em sua gestão João Havelange ao deixar a presidência da Fifa, em congresso da entidade, na França, em 1998; ao seu lado, Joseph Blatter, que era secretário-geral em sua gestão

João Havelange ao deixar a presidência da Fifa, em congresso da entidade, na França, em 1998; ao seu lado, Joseph Blatter, que era secretário-geral em sua gestão (/)

(Com Estadão Conteúdo)