Clique e assine a partir de 9,90/mês

Técnico e meia do Náutico reclamam de xingamentos da torcida

Por Da Redação - 27 fev 2012, 17h01

Mesmo com o time vencendo o Belo Jardim por 3 a 1 nos Aflitos, alguns torcedores do Náutico, localizados principalmente nas cadeiras sociais do estádio, dirigiram vaias e xingamentos aos jogadores e ao técnico Waldemar Lemos no último domingo. Este comportamento provocou revolta no meia Eduardo Ramos, que chegou a atirar uma garrafa d’agua em um torcedor que lhe direcionava insultos

‘Eu atirei, sim, a garrafa. Mandar o treinador, o jogador, para aquele lugar, é vergonhoso. Esses caras não ajudam. Só criticam, o tempo todo. Eu não admito isso’, disse o jogador, que ficou ainda mais indignado com outro canto dos torcedores.

‘Vir me chamar de cachaceiro? Pô, inventa outra coisa. Faz tempo que eu não bebo’, disse Eduardo Ramos, que mais tarde pediu desculpas por ter atirado a garrafa em direção às cadeiras sociais.

Outro alvo de vaias, o técnico Waldemar Lemos foi muito xingado após ter substituído Douglas por Philip, e não mediu palavras para defender o seu trabalho à frente da equipe alvirrubra.

Continua após a publicidade

‘O importante não é o resultado? Você vir ao estádio para vaiar, é um sentido de desamparo muito grande. Menosprezo à minha equipe, eu não aceito. Todos trabalham duro por aqui. Colocamos este time na Série A. A torcida precisa crescer junto. Com negativismo, é muito difícil’, reclamou.

O empate do Sport diante do Central, somado à sua vitória diante do Belo Jardim, fez com que o Timbu reassumisse a segunda colocação do Campeonato Pernambucano. A equipe está com 25 pontos, três a menos que o líder Salgueiro, e volta a atuar pela competição nesta quarta-feira, fora de casa, contra o América-PE.

Publicidade