Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Técnico da seleção inglesa é acusado de corrupção

Sam Allardyce teria aceitado a quantia de 1,7 milhão de reais para participar de um esquema ilegal de transferências de jogadores no futebol inglês

O técnico da seleção inglesa, Sam Allardyce, é acusado de corrupção no futebol inglês, segundo denúncia do jornal  The Telegraph publicada nesta terça-feira. Ele teria aceitado receber 400 mil libras (cerca de 1,7 milhão de reais) para participar de um esquema que burla as regras de transferências de jogadores no futebol inglês. O próprio diário britânico organizou uma verdadeira força-tarefa durante os últimos 10 meses para flagrar o treinador de 61 anos, recém contratado pela Federação Inglesa, a FA.

A equipe de repórteres investigativos do The Telegraph criou uma empresa fictícia para fazer negócios com Allardyce. Foram dois encontros de quatro horas no total e, de acordo com a publicação, o técnico teria aceitado a quantia milionária oferecida pelos “empresários” para viajar a Cingapura e Hong Kong e negociar jogadores para terceiros. Desde 2008, essa prática é considerada ilegal pela FA.

LEIA TAMBÉM:
Fifa manda cartolas devolverem relógios dados pela CBF
Investigação confirma corrupção em eleição do Catar-2022

Além de ter aceitado o acordo fictício, Allardyce teria insinuado nessas reuniões que já participou de esquemas parecidos, chegando a dizer que conhece meios para burlar as regras da FA. Allardyce assumiu a Inglaterra há pouco tempo. Ele substituiu Roy Hodgson, que fez má campanha na Eurocopa, caindo para a Islândia nas oitavas de final. Allardyce estreou nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, com vitória sobre a Eslováquia, por 1 a 0.

Cargo ameaçado – Após a denúncia do The Telegraph, o presidente da FA, Greg Clarke, se reuniu com dirigentes para discutir o caso, e a demissão do técnico já é cogitada nos bastidores. Em entrevista ao The Times, Clarke afirma que irá analisar o caso antes de tomar qualquer decisão.  “Eu quero primeiro ter todos os fatos e informações de todos e, assim, fazer um julgamento sobre o que fazer”.