Clique e assine a partir de 9,90/mês

Técnico da Alemanha aponta favoritos: ‘Brasil está de volta’

Löw vê Brasil, França, Espanha e Argentina em bom nível. Adversários na primeira fase, treinadores de Suíça e Costa Rica exaltaram Neymar e Tite

Por Luiz Felipe Castro - Atualizado em 22 fev 2018, 12h12 - Publicado em 1 dez 2017, 16h26

De Moscou – O técnico Joachim Löw, da atual campeã Alemanha, foi um dos últimos a deixar a zona mista do Kremlin Palace nesta sexta-feira após a definição dos grupos da Copa do Mundo de 2018. Sua equipe caiu no Grupo F ao lado de México, Suécia e Coreia do Sul, e pode cruzar com o Brasil nas oitavas de final, caso um passe em primeiro e o outro em segundo em suas chaves.

Löw listou seus principais candidatos ao título e reforçou a recuperação brasileira anos depois do vexame do 7 a 1. “Acho que não há um único favorito na Copa, acho que há alguns, como a Espanha, que é sempre forte, o Brasil está de volta, Argentina, França… Todas em um alto nível”, completou, antes de deixar o evento em Moscou. 

Adversários exaltam Brasil

Vladimir Petkovic, técnico da Suíça, adversária do Brasil na estreia, fez elogios à equipe e a Neymar, mas disse não se preocupar com a boa fase do craque do Paris Saint-Germain: “Jogadores deste nível não se discutem, fazem a diferença sozinhos, mas eu me concentro somente na minha equipe e tentar ser melhor que o adversário.”

O técnico da Costa Rica, Óscar Ramirez, destacou a grande campanha do Brasil sob o comando de Tite. “Nas Eliminatórias, o professor Tite armou uma seleção muito tática e que faz valer seu valores individuais, o Brasil é muito forte, que foi a todos os lugares e jogou bem.”

Óscar Ramirez, técnico da seleção da Costa Rica Luiz Felipe Castro/VEJA.com

 

Continua após a publicidade
Publicidade