Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Surfe: Ítalo é vice na França e acirra briga por título e vagas olímpicas

Gabriel Medina foi eliminado nas oitavas de final em Hossegor, mas segue no topo da classificação da WSL 2019

A disputa pelo título do World Surf League (WSL) e pelas vagas brasileiras do surfe na Olimpíada de Tóquio ficou mais acirrada com a conclusão da etapa da França, a nona das 11 previstas para a temporada 2019. Nesta sexta-feira, 11, Ítalo Ferreira foi vice-campeão do evento em Hossegor ao perder a final para o francês Jeremy Flores.

O atual campeão mundial Gabriel Medina, que mais cedo foi eliminado nas oitavas de final, continua na frente do ranking, com 48.015 pontos, seguido pelo compatriota Filipe Toledo, com 45.730, e pelo sul-africano Jordy Smith, com 43.515. Ítalo agora é o quarto colocado, com 42.400, à frente do americano Kolohe Andino, com 41.250.

O surfe do Brasil iniciou o dia com três representantes nas oitavas de final, mas só Ítalo conseguiu avançar. Medina deixou o evento ao perder para o australiano Adrian Buchan por 10 a 9,5, enquanto Yago Dora, punido por interferência, caiu diante de Andino por 10,33 a 6.

Ítalo abriu o seu dia derrotando o francês Michael Bourez por 13,84 a 8,06, avançando às quartas de final. Depois, obteve a classificação às semifinais ao bater Andino por 13,93 a 11,36. E se garantiu na decisão ao fazer 11,6 a 10,83 no italiano Leonardo Fioravanti ainda que tenha se lesionado ao tentar um aéreo.

Na decisão, Flores se deu melhor ao conseguir a nota 9,67 logo em sua primeira onda. No somatório, derrotou Ítalo por 15 a 8,23 e fez história ao se tornar o primeiro francês ao vencer a etapa de Hossegor.A etapa de Portugal, em Peniche, será a próxima do campeonato e está marcada para começar na próxima quarta-feira, 23. Ítalo foi o vencedor dessa disputa no ano passado.

Vagas olímpicas

O surfe é um dos cinco esportes que estrearão no programa olímpico em Tóquio-2020 – os outros são skate, karatê, escalada e beisebol. A competição em águas japonesas contará com 20 homens e 20 mulheres, sendo no máximo dois representantes de cada país por gênero.

O Brasil tem uma ótima chance de classificar dois surfistas para Tóquio de acordo com a classificação da WSL de 2019. Para isso, basta que dois brasileiros estejam entre os 10 melhores colocados. No momento, o líder Medina e o vice Filipe Toledo seriam os representantes do país.