Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

‘Superquarta’ tem países da Copa em amistosos decisivos

Técnicos das 32 seleções com vaga no Mundial fazem as últimas avaliações antes de convocações. Espanha x Itália e França x Holanda são os destaques

Por Da Redação 5 mar 2014, 09h09

Os principais jogos

Grécia x Coreia do Sul (14h)

Colômbia x Tunísia (15h)

Romênia x Argentina (16h)

Ucrânia x EUA (16h)

Áustria x Uruguai (16h30)

Suíça x Croácia (16h30)

Alemanha x Chile (16h45)

Bélgica x C. do Marfim (16h45)

França x Holanda (17h)

Inglaterra x Dinamarca (17h)

Portugal x Camarões (17h45)

Espanha x Itália (18h)

Continua após a publicidade

México x Nigéria (22h30)

​Costa Rica x Paraguai (23h)

A última data da Fifa para amistosos internacionais antes das convocações para a Copa do Mundo terá todas as 32 seleções classificadas para o torneio entrando em campo. Nesta “superquarta”, os técnicos farão os últimos testes e avaliações antes da montagem das listas de inscrição que serão entregues à Fifa em maio. Os próximos amistosos serão realizados só em junho, quando as seleções já estarão concentradas para o Mundial. Além da partida entre Brasil x África do Sul no Estádio Soccer City, palco da final da última Copa, os destaques são dois duelos entre grandes seleções europeias. Por coincidência, um deles reúne os dois últimos campeões (Espanha e Itália), e o outro, os dois últimos vices (Holanda e França). Alemanha, Argentina, Inglaterra e Uruguai, as outras seleções que já conquistaram o Mundial, também estarão em ação.

Leia também:

Seleções favoritas ao título têm poucas dúvidas

Brasil enfrenta África do Sul e testa dois novatos

• Em Madri, Espanha e Itália medem forças na partida que deverá marcar a estreia do brasileiro naturalizado espanhol Diego Costa. O jogo acontece no estádio do Atlético de Madri, o clube de Diego. O jogador nascido em Sergipe tem boas chances de vestir a camisa vermelha na Copa. “Tudo está acontecendo com muita naturalidade. Ele se adaptou muito bem à seleção. Não notei nenhuma diferença entre Diego Costa e qualquer outro jogador”, afirmou o técnico Vicente del Bosque, sem confirmar se o atacante começará a partida entre os titulares. Se Del Bosque está animado com a chance de testar Diego contra os italianos, o técnico da Azzurra fala abertamente que preferia um amistoso mais fácil nesta quarta. “Não queria jogar este amistoso porque podemos nos encontrar no Mundial em três meses”, afirmou. Sem Balotelli, lesionado, e De Rossi, excluído por ter agredido um rival num jogo do Campeonato Italiano, Prandelli foi criticado pelo técnico da Juventus, Antonio Conte, por escalar Chiellini, que voltou de contusão e ficou no banco no último jogo da equipe. “Quando vejo um jogador em campo ou como reserva, tenho o direito de chamá-lo”, rebateu o treinador.

• No duelo entre Alemanha e Chile, a seleção apontada por muitos como uma grande favorita ao título no Brasil recebe uma equipe sul-americana em bom momento, em partida que acontece em Stuttgart. Apesar de jogar em casa, o técnico da seleção alemã, Joachim Löw, prevê uma partida difícil contra os chilenos. “O Chile virá com uma grande determinação. O time deles é um exemplo perfeito do estilo de jogo sul-americano, com velocidade e técnica. Eles também têm jogadores de muita qualidade”, afirmou Löw. O treinador chileno, Jorge Sampaoli, encara o amistoso como uma oportunidade de medir o verdadeiro nível de sua equipe diante das gigantes do futebol. “O amistoso permitirá uma análise de como os jogadores reagirão quando estiverem sob pressão”, explicou.

• As vice-campeãs das Copas de 2006 e 2010, França e Holanda, se enfrentam no Stade de France, em Paris, com poucas dúvidas em suas escalações para a Copa. Classificada apenas na repescagem, a França quer provar aos seus torcedores que tem condições de desempenhar um bom papel no Mundial. “Precisamos manter nossa forma, porque isso será essencial para os jogos no Brasil”, afirmou o técnico francês, Didier Deschamps. Dona da melhor campanha nas Eliminatórias da Europa, a Holanda acerta seus últimos detalhes. A grande novidade na lista do técnico Louis van Gaal é o retorno do centroavante Huntelaar, destaque do Schalke 04, que não vinha aparecendo nas listas mais recentes.

• Argentina, Uruguai e Inglaterra seguiram a seleção brasileira e terão pela frente equipes que não estarão no Mundial. Argentina e Romênia se enfrentam em Bucareste, e o técnico Alejandro Sabell tem duas dúvidas para montar o time – o zagueiro Garay e o atacante Agüero estão voltando de contusão e podem ser poupados. Em Klagenfurt, Uruguai e Áustria medem forças com a seleção visitante desfalcada do matador Cavani. Com isso, Óscar Tabárez pode voltar a colocar Diego Forlán, agora no futebol japonês, entre os titulares. Com 30 jogadores convocados pelo técnico Roy Hodgson, o jogo entre Inglaterra e Dinamarca, em Wembley, Londres, deverá ser um verdadeiro vestibular para a Copa para os ingleses. Entre os titulares, as novidades são Adam Lallana, do Southampton, e Alex Oxlade-Chamberlain, do Arsenal. Os jovens Luke Shaw, de 18 anos, e Raheem Sterling, de 19, também podem ser testados.

• Três seleções que sonham em surpreender as favoritas na Copa do Mundo entram em campo contra seleções africanas nesta quarta. Com o melhor do mundo, Cristiano Ronaldo, como destaque, Portugal e Camarões jogam em Leiria. O torcedor brasileiro deve ficar de olho na partida não só por causa da presença do supercraque – a seleção camaronesa é a última adversária do Brasil na primeira fase do Mundial. Bélgica e Costa do Marfim colocam em campo grandes nomes do futebol europeu, como Hazard pelo lado dos europeus e Drogba e Yaya Touré pelos africanos. Colômbia e Tunísia se encontram em Barcelona com a seleção sul-americana procurando um substituto para Falcao Garcia, que pode ficar fora da Copa por causa de uma grave lesão.

(Com agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade
Publicidade