Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Substituto de Neymar garante vitória do Brasil sobre a Dinamarca

Os torcedores da Dinamarca perguntavam-se na entrada da Imtech Arena sobre a ausência de Neymar no amistoso deste sábado. O substituto do novo astro do Brasil, no entanto, encarregou-se de ser o destaque da partida. Hulk marcou dois gols e participou do lance de outro (contra, de Zimling) na vitória por 3 a 1 da Seleção de Mano Menezes, bastante convincente no primeiro tempo. Bendtner descontou no segundo.

Em fase de preparação para as Olimpíadas de Londres, o Brasil voltará a contar com Neymar (liberado para descansar após defender o Santos na Copa Libertadores da América) em seus próximos três amistosos, todos realizados nos Estados Unidos. Os adversários serão os norte-americanos, na próxima quarta-feira, em Washington, o México, em 3 de junho, em Dallas, e a Argentina, no dia 9, em Nova Jersey.

Já a Dinamarca, que preocupou a sua torcida com uma fraca atuação, tem a Eurocopa pela frente. A equipe dirigida por Morten Olsen estreará contra a Holanda, em 9 de junho, e ainda encontrará Portugal e Alemanha no grupo B. Em jogos anteriores com o Brasil, os dinamarqueses foram mais duros: perderam por suados 3 a 2 nas quartas de final da Copa do Mundo de 1998 e golearam por 4 a 0 em amistoso de 1989, por exemplo.

O jogo – A torcida da Dinamarca que lotou a Imtech Arena desanimou rapidamente com a atuação de sua equipe. O Brasil precisou de sete minutos para abrir o placar no amistoso. Pouco depois de o técnico Mano Menezes externar a sua preocupação com os desfalques da Seleção, Hulk arriscou um chute de fora da área e contou com uma falha do goleiro Sorensen para acertar a rede.

O gol proporcionou tranquilidade para o Brasil controlar o ímpeto da Dinamarca. Quando o público adversário tentou revigorar os comandados de Morten Olsen, houve mais um baque. Aos 12 minutos, o meia Oscar recebeu a bola dentro da área, mostrou-se à vontade com a camisa 10 amarela com um bom drible e devolveu para Hulk. Zimling se atrapalhou e desviou, contra: 2 a 0.

A boa vantagem do Brasil no placar em tão pouco tempo de partida desorganizou ainda mais os dinamarqueses. Se o técnico português José Mourinho, do Real Madrid, assistia ao amistoso com uma expressão serena na Imtech Arena, o time europeu se desesperava com chutes para a frente, na tentativa de construir alguma jogada. A equipe de Mano Menezes já possuía 62% de posse de bola naquele momento.

O técnico Morten Olsen, então, entrou em ação aos 24 minutos. Substituiu o goleiro Sorensen, que reclamava de dores, por Andersen e o meio-campista Schone por Kahlenberg. Como o Brasil diminuiu o ritmo, a Dinamarca se aproveitou de desatenções e melhorou (não tanto) depois das alterações. O ataque do time vermelho, contudo, ficava constantemente em impedimento.

Assim que voltou a investir ofensivamente, o Brasil ampliou. Aos 39, Oscar roubou a bola no meio-campo e fez o lançamento para Hulk. O inspirado atacante passou por Kjar e finalizou no contrapé do goleiro Andersen. Antes do intervalo, Leandro Damião também chegou a colocar a bola no gol – porém, daquela vez, foi o centroavante do Internacional quem apareceu em posição irregular.

No segundo tempo, Morten Olsen tentou mais uma vez mexer com os brios da Dinamarca, agora com Jakob Poulsen no lugar de Christian Poulsen. Já Mano Menezes preferiu tirar proveito da boa atuação de seu time para esperar um pouco mais para fazer substituições. Como os dinamarqueses avançaram e o Brasil passou a esbarrar na marcação do meio-campo, o técnico logo mudou de ideia.

Aos 25 minutos, em seguida à entrada do lateral esquerdo Alex Sandro na vaga de Marcelo, a Dinamarca conseguiu descontar. Zimling se redimiu do gol contra com uma boa jogada em diagonal e passou para Bendtner. A arbitragem ignorou mais um impedimento do centroavante, que empurrou a bola para dentro. De imediato, Mano trocou também Danilo por Rafael.

Apesar de o Brasil já não ter mais o mesmo domínio da etapa inicial, a Dinamarca não chegou a ser soberana mesmo após o gol. Mano Menezes, com calma, pôde fazer novos testes em sua formação, com Wellington Nem, Giuliano e Casemiro como substitutos de Leandro Damião, Lucas e Sandro. O último a sair foi justamente o destaque do jogo. Hulk, aos 45 minutos, deixou o gramado aplaudido para a entrada de Bruno Uvini.