Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sob clima londrino, a Inglaterra espera acelerar ainda mais

Equipe estreou jogando com muita intensidade e rapidez em Manaus. Contra o Uruguai será igual, diz Roy Hodgson, que gostou de SP com friozinho e garoa

“Se você joga com a intensidade que nós e os uruguaios jogam, essas condições climáticas são positivas, isso é certo”, disse Hodgson

Era o Itaquerão, mas poderia ser Wembley ou Stamford Bridge – a não ser pelo puxadinho das arquibancadas provisórias do estádio paulista, é claro. Quando a seleção da Inglaterra subiu ao gramado do palco de seu segundo jogo na Copa do Mundo, na tarde desta quarta-feira, em São Paulo, encontrou condições climáticas bem londrinas: céu encoberto, friozinho de 17 graus e garoa bem fina. O técnico Roy Hodgson gostou. “Não vou reclamar, obviamente”, reconheceu ele na véspera do duelo decisivo contra o Uruguai, às 16 horas (de Brasília) de quinta. Depois de sofrer com o calor sufocante de Manaus na estreia (derrota para a Itália, 2 a 1), o English Team sente-se bem mais confortável no clima desta quarta. “Temperatura baixa e chuva podem, em teoria, ser fatores favoráveis aos europeus. Mas é bom lembrar que a maioria dos jogadores da seleção uruguaia também joga na Europa, então eles também deverão se beneficiar”, lembrou o treinador. De qualquer forma, Hodgson acha que o espetáculo sai ganhando, já que a partida deverá ser disputada num ritmo ainda mais intenso e eletrizante do que o clássico na capital amazonense.

Leia também:

Uruguai está contra a parede – e promete escapar de novo

Europeus driblam calor, mas criticam os ‘absurdos’ da Fifa

Inglaterra segue viva, diz Hodgson; Prandelli vê Itália forte

Os personagens da espetacular primeira rodada da Copa

Por que ainda crer na seleção (e do que desconfiar nela…)

“Se você joga com a intensidade que nós e os uruguaios jogamos, essas condições climáticas são positivas, isso é certo”, avaliou o inglês. Hodgson só fez questão de evitar qualquer crítica ao calor das demais sedes do Mundial – desde o famigerado episódio do atrito diplomático com as autoridades amazonenses, ele é extremamente cauteloso na hora de falar sobre o assunto. “É preciso jogar em qualquer clima que a gente encontrar. Nos preparamos bem e aceitaremos qualquer tipo de temperatura e umidade.” O cenário mais confortável para seus jogadores deixou Hodgson ainda mais confiante sobre a realização de uma grande partida na quinta. Como as duas seleções precisam vencer (o Uruguai também perdeu na estreia), a previsão é de um jogaço, com ambas as equipes pensando só na vitória. “Eu não cometi o erro de avaliar o Uruguai pelo último resultado deles. O futebol às vezes oferece resultados inesperados, mas eles têm uma excelente equipe e um ataque com incrível poder de fogo, com Suárez, Cavani e Forlán”, elogiou o inglês, já preparado para a escalação do atleta do Liverpool entre os titulares (horas antes, o técnico Óscar Tabárez fez mistério, dizendo que só divulgará a formação uruguaia no dia do jogo). “Será uma partida fantástica.”