Clique e assine com até 92% de desconto

Sheilla pede agressividade e alegria para reverter momento do Brasil

Por Da Redação 1 ago 2012, 20h59

Mais do que a derrota para a Coreia do Sul nesta quarta-feira, a Seleção Brasileira feminina de vôlei sentiu a falta de atitude em quadra. Com o risco de não avançar às quartas de final dos Jogos Olímpicos de Londres-2012, a oposto Sheilla pediu para o time atuar com agressividade e alegria para tentar reverter o mau momento.

O Brasil tem apenas uma vitória em três jogos nas Olimpíadas de Londres-2012 e, se não vencer a China na sexta-feira, pode chegar à ultima rodada da fase de grupos já sem chances de conseguir uma vaga na fase seguinte do torneio.

‘A gente tinha conversado e falado que falta agressividade, a atitude. Não sei por que, parece que está preso, não sai. Sei lá, agora é pensar na China depois de amanhã’, afirmou a oposto ao ‘Sportv’, logo após a derrota por 3 sets a 0, com parciais de 25/23, 25/21 e 25/21.

O Brasil soma apenas dois pontos em três partidas disputadas nos Jogos Olímpicos, ocupando a quinta colocação do Grupo B, à frente apenas da Sérvia, que não soma nenhum. Os Estados Unidos lideram a chave com nove pontos, seguidos por China e Coreia do Sul, ambas com seis, e Turquia, com quatro pontos.

‘A gente conversou que precisa confiar, nada acabou. É uma situação difícil, todo mundo sabe, mas estão faltando dois jogos e precisamos de vitórias. Não sinto o time nervoso, mas acho que está faltando agressividade. Nossa característica sempre foi essa, de alegria, até de gritar na cara da adversária, acho que está faltando isso’, argumentou Sheilla.

Continua após a publicidade
Publicidade