Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sheik e Valdivia são expulsos e saem reclamando da CBF

Atacante do Botafogo e meia do Palmeiras faziam ótimas partidas, até receberem o cartão vermelho. No fim, reclamaram da confederação

Emerson Sheik e Jorge Valdivia têm muito em comum: são os principais jogadores de suas equipes, possuem talento inegável, fogem do senso comum e, por isso, dão ótimas entrevistas, mas também possuem o mau hábito de se descontrolar e prejudicar seus companheiros. Nesta quarta-feira, ambos tinham tudo para ser os heróis da rodada, mas foram expulsos e frearam suas equipes. Outra coincidência: deixaram o gramado reclamando das autoridades do futebol nacional e com suas equipes na zona de rebaixamento.

Leia também:

Palmeiras e Botafogo entram na zona de rebaixamento

Cruzeiro volta a abrir sete pontos de vantagem na liderança

CBF atrapalha 11 partidas do Brasileiro

– mas Dunga bate o pé

Sheik marcou dois gols para o Botafogo diante do Bahia e ainda distribuiu dribles e lances de efeito na primeira etapa no Maracanã. No retorno do intervalo, porém, levou o primeiro cartão amarelo, avistou uma câmera e mandou seu primeiro recado. “CBF, é para você”. Apenas três minutos depois, o atacante botafoguense cometeu mais uma falta, recebeu o cartão vermelho e proporcionou uma cena inusitada. “CBF, você é uma vergonha, vergonha, vergonha!’, afirmou, com o rosto colado a uma câmera na saída do gramado. Antes mesmo da expulsão de Sheik, o peruano Ramírez também havia recebido o cartão vermelho por agredir um adversário. Com dois a menos em campo, o Botafogo perdeu a partida por 3 a 2.

Sheik, agora, corre sérios riscos de ser punido, sobretudo porque suas ofensas foram relatados na súmula da partida pelo árbitro Igor Junio Benevenuto. Segundo o juiz, o atacante o chamou de “safado, sem vergonha e vagabundo”, além de dizer palavrões. Benevenuto ainda inclui na súmula as declarações de Sheik contra a CBF ao ser avisado do ocorrido pelo quarto árbitro.

Valdivia – No Pacaembu, o Palmeiras perdia para o Flamengo por 2 a 0 até a entrada do meia chileno Jorge Valdivia. Com passes precisos, ele comandou a reação da equipe, que chegou ao empate, mas foi expulso aos 36 minutos do segundo tempo por pisar no volante Amaral. Ao fim da partida, o próprio Valdivia reconheceu o erro, disse ter agido de forma “idiota” e que não consideraria estranho ser punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pela conduta que teve.

“A gente se enroscou e depois, quando ele estava no chão, tive uma reação absurda, idiota e deixei a planta do pé nas costas dele, acho. Não chegou a ser um pisão, mas deixei o pé nas costas dele”, admitiu Valdivia. “Logicamente eu peço desculpas. Só peço para o STJD não exagerar muito. Todos sabem que, quando sou eu que estou envolvido, tudo parece mais complicado e difícil”, afirmou o jogador mais caro do elenco que, no ano passado, chegou a ser punido por ter admitido que forçou um terceiro cartão amarelo para cumprir suspensão em jogo no qual já seria desfalque por estar com a seleção chilena.

“Como já falei, foi um lance infantil que eu não podia ter cometido, pela experiência que tenho e pelo momento que vivemos. Não perdi a cabeça. Nem eu sei o que fiz. Tanto é que o pisão foi muito leve. Claro que não tinha que ter feito aquilo. Tem que punir, o juiz está certo”, ponderou. Pelo cartão vermelho, o jogador já cumpre suspensão automática no próximo domingo, quando o Palmeiras enfrenta o Goiás, fora de casa. O mesmo acontece com Sheik, que perderá a partida do Botafogo diante do Cricíuma, em Santa Catarina.

(Com Estadão Conteúdo e Gazeta Press)