Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Shaun White dribla entrevistas para encontrar fãs que superaram o câncer

Astro do snowboard, que segue firme na busca por novo ouro olímpico, fez questão de realizar o sonho de fãs americanos de 10 e 19 anos

Por Alexandre Salvador 11 fev 2014, 14h52

Depois de se classificar tranquilamente para a final do halfpipe – bem à frente de seus adversários, diga-se de passagem -, nesta terça-feira, em Sochi, o grande astro do snowboard, o americano Shaun White, só atendeu aos pedidos de entrevistas das TVs, emissora por emissora, como lhe é obrigado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI). Depois, o bicampeão olímpico fugiu dos jornalistas da imprensa escrita, que esperavam por ele um pouco mais à frente na zona mista, pulou as grades de segurança e foi para a torcida. O motivo? White soube da presença de dois torcedores especiais nas arquibancadas, que estavam ali exclusivamente para vê-lo descer a rampa gelada.

Leia também:

Falta de neve compromete a prova mais radical dos Jogos

Os dois jovens fãs cumprimentados pessoalmente pelo ídolo estão na Rússia graças à benfeitoria da fundação americana Make-a-Wish. Lembram-se da história do garoto com leucemia, cujo sonho era defender as ruas de Gotham City ao lado do Batman, que parou as ruas de São Francisco? Pois então, é a Make-a-Wish que está patrocinando a viagem de Ben Hughes, de 10 anos, e Katie Lyle, de 19. Os dois realizavam tratamento contra o câncer e tiveram seu sonho – assistir bem de perto aos Jogos de Inverno – realizado pela entidade.

“Meu Deus, eu amo o Shaun. E ele é ainda mais bonito pessoalmente”, disse Katie, que assistiu à vitória de White nos últimos Jogos, em Vancouver, enquanto realizava sessões de quimioterapia. A jovem americana está livre da doença há três anos e meio. Já o garoto Ben foi diagnosticado com leucemia em 2010 e finalizou seu tratamento em 2012. Acompanhado da mãe, o pequeno fã de Shaun White ainda estava um pouco catatônico logo depois do encontro inesperado com o grande ídolo: “Isso não está acontecendo. É legal demais para ser verdade”.

Continua após a publicidade

Publicidade