Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sérvia x Albânia tem drone, brigas e irmão de premiê preso

Confusão no jogo das Eliminatórias da Eurocopa, em Belgrado, acirra a tensão entre os países e pode cancelar visita de primeiro-ministro. Uefa vai investigar

“Não importa se vamos nos classificar ou não. O que importa é vencer a Sérvia”, disse um torcedor albanês

A Uefa anunciou nesta quarta-feira que investigará a confusão que provocou a interrupção do jogo entre Sérvia e Albânia, válido pelas Eliminatórias para a Eurocopa 2016, em Belgrado, na Sérvia. A partida foi interrompida no final do primeiro tempo, quando um drone com uma bandeira albanesa sobrevoou o gramado e deu início a uma confusão generalizada entre torcedores e jogadores. “O futebol é feito para unir as pessoas. Nosso esporte não deveria ser misturado com a política. Aquelas cenas são imperdoáveis”, afirmou Michel Platini, presidente da Uefa. O presidente da Fifa, Joseph Blatter, também condenou as motivações políticas do ato que provocou o tumulto. “O futebol não deve ser usado para transmitir mensagens políticas. Eu condeno fortemente o que ocorreu em Belgrado.”

Leia também:

Cristiano Ronaldo marca aos 50 do 2º tempo e salva Portugal

A relação entre sérvios e albaneses é tensa. Kosovo, que se declarou independente da Sérvia e agora luta pelo reconhecimento internacional para ser considerado um país, tem 92% de sua população formada por albaneses. Justamente por causa do conflito, a Uefa decidiu que a partida na Sérvia seria disputada com torcida única, sem albaneses nas arquibancadas, mas isso não impediu a confusão. Aos 41 minutos do primeiro tempo, com o placar em 0 a 0, um drone com a bandeira da “Grande Albânia”, território que englobaria partes de Sérvia, Montenegro, Macedônia, Grécia e Kosovo, sobrevoou o gramado. O meia sérvio Mitrovic conseguiu puxar a bandeira, atraindo a fúria dos atletas albaneses.

A partir daí, jogadores dos dois times começaram a brigar, e a torcida, que até então mostrava uma boa conduta, começou a invadir o gramado do Estádio Partizan. O público também passou a disparar sinalizadores e outros objetos na direção do gramado. Os atletas da Albânia correram para os vestiários e o árbitro inglês Martin Atkinson suspendeu a partida. De acordo com a televisão estatal sérvia RTS, Olsi Rama, irmão do primeiro-ministro albanês, Edi Rama, foi detido sob acusação de fomentar a confusão – ele é acusado de ter guiado o drone da tribuna de honra do estádio. Em Tirana, uma fonte ligada a Rama desmentiu a notícia da prisão do irmão do premiê. A confusão pode comprometer a visita do primeiro-ministro albanês à Sérvia, marcada para daqui a uma semana.

O episódio acirrou a tensão entre os países. Apesar de a partida ter sido suspensa, milhares de albaneses, a maioria deles jovens, comemoraram até o amanhecer nas ruas da capital Tirana. Os jogadores que encararam os sérvios na briga foram recebidos como heróis nacionais. “Não importa se vamos nos classificar ou não. O que importa é vencer a Sérvia”, disse um torcedor albanês entrevistado pela agência de notícias EFE. Os tons nacionalistas também dominaram as capas dos jornais nesta quarta, com manchetes como “Sérvia e Albânia, a batalha pela bandeira”. No Twitter, o primeiro-ministro Edi Rama escreveu que se sente “orgulhoso” dos albaneses e criticou a “manifestação feia” dos sérvios. Com tudo isso, a viagem de Rama a Belgrado, que seria a primeira ida de um premiê albanês à Sérvia em 68 anos, está sob risco.

(Com agências Gazeta Press, France-Presse e EFE)