Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Senado confirma criação de CPI da CBF

Eram necessárias 27 assinaturas para instalá-la - 53 parlamentares firmaram o pedido

Por Da Redação 29 Maio 2015, 16h10

O Senado confirmou nesta sexta-feira a criação da CPI da CBF, com 53 assinaturas de parlamentares – eram necessárias 27 para instalá-la. O pedido foi apresentado pelo senador e ex-jogador Romário (PSB-RJ) e pretende “investigar a CBF e o Comitê Organizador Local da Copa do Mundo Fifa Brasil 2014 (COL), em especial, quanto a possíveis irregularidades em contratos feitos para a realização de partidas da seleção brasileira e de campeonatos organizados pela CBF, assim como para a realização da Copa das Confederações Fifa 2013 e da Copa do Mundo 2014”.

Del Nero nega renúncia e diz que ‘não há nada’ contra ele

Senado abre caminho para investigação sobre futebol

Para propor a CPI, Romário argumentou que é preciso que se “faça uma apuração concreta sobre todas essas possíveis irregularidades na entidade máxima do futebol brasileiro e no órgão responsável pela Copa do Mundo do Brasil, para que essa mancha não contamine o esporte nacional como um todo e todas as irregularidades que possam existir sejam expostas para a sociedade”.

Apoiaram o pedido de comissão parlamentar senadores da base e da oposição. Entre eles, o presidente do PSDB, senador Aécio Neves, o líder do governo no Senado, Delcídio Amaral (PT-MS), o líder do PMDB na Casa, Eunício Oliveira (CE), e o senador Zezé Perrella (PDT-MG), ex-presidente do Cruzeiro. A comissão terá sete titulares e sete suplentes e 180 dias para realizar as investigações. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou na quinta que iria pedir as indicações aos líderes dos integrantes da CPI para que ela possa começar os trabalhos “imediatamente”.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade