Clique e assine a partir de 9,90/mês

Sem sorrir, Julio Cesar nega clima pesado após cobrança da diretoria

Por Da Redação - 24 ago 2011, 19h07

A quarta-feira não foi das mais calmas no Corinthians. Toda a diretoria de futebol se reuniu com o elenco e a comissão técnica antes do treinamento no CT Joaquim Grava para cobrar uma reviravolta nos resultados do time. Mais tarde, foi a vez de o presidente Andrés Sanchez aparecer. Segundo Julio Cesar, o clima não está ruim, mas é preciso trabalhar mais.

‘O clima entre nós, jogadores, comissão técnica e diretoria, é o mesmo. A diferença é de que nas primeiras rodadas (do Campeonato Brasileiro), o time estava ganhando. Quando ganha, tem sorriso no rosto 24 horas. Quando perde, você tem coisa a consertar, não dorme direito. Em vez de você sentar no vestiário e rir, às vezes é melhor ir trabalhar’, disse o goleiro, um dos líderes do grupo. ‘Mas o ambiente é totalmente normal’, minimizou, em seguida.

A pressão já seria natural por conta da queda de produção da equipe – que lidera ainda com dois pontos de vantagem sobre o segundo colocado Flamengo, apesar de ter somado apenas duas vitórias nos dois últimos jogos -, mas está ainda maior pelo fato de o próximo compromisso ser o clássico contra o Palmeiras. O time não quer cair da ponta com uma derrota para o maior rival.

Segundo o diretor de futebol, Roberto de Andrade, que conversou com o elenco, a hora é de encontrar solução em conjunto. ‘Vocês (jornalistas) acham que a gente esta contente também? Nossa função é exatamente tentar detectar os problemas e resolvê-los’, comentou o dirigente.

O ‘enquadro’ não foi revelado por Julio Cesar, mas a essência teria sido simples. ‘Não foi (pedido) nada especial, a não ser voltar a fazer o que a gente vinha fazendo. Como nossa visibilidade é maior, a pressão também é maior quando o time perde. Temos que saber lidar com isso. Nosso time é maduro e sabe que tem que vencer para adquirir mais confiança’, concluiu o arqueiro.

Continua após a publicidade
Publicidade