Clique e assine a partir de 9,90/mês

‘Sem dependência’, Lucas e Luis Fabiano participam de 45% dos gols

Por Da Redação - 2 jun 2012, 05h02

Principais jogadores da equipe enquanto Rogério Ceni se recupera de cirurgia no ombro direito, Lucas e Luis Fabiano comprovam nos números a sua importância. A dupla de ataque titular participou de 30 dos 66 gols marcados pelo time na temporada. Mas o percentual de 45, 45% de responsabilidade de ambos não configura dependência segundo Cortez.

‘O segredo do nosso time é o grupo. Se o Luis Fabiano faz gol, é porque o grupo dá suporte’, falou o lateral esquerdo, enaltecendo que a qualidade dos dois aparece com o trabalho coletivo. ‘Sem querer tirar o mérito do Luis Fabiano, que é um excelente atacante, e do Lucas, que é um grande jogador, mas o segredo é a força do nosso grupo’, insistiu.

Dependência à parte, o poder de decisão de ambos em 2012 é provado nas estatísticas. Luis Fabiano é o artilheiro do São Paulo no ano com 14 gols, enquanto Lucas tem sete. O centroavante ainda deu três passes para que um colega balançasse as redes e Lucas tem sete assistências, uma delas para o camisa 9.O número se ressalta caso sejam considerados as partidas em que Luis Fabiano não entrou em campo. Dos 30 jogos do Tricolor paulista na temporada, em 13 o atacante e ídolo da torcida não esteve presente, por contusão ou suspensão.

O curioso das estatísticas é que os passes trocados por ambos resultou em gol de um deles apenas na abertura do placar da vitória por 2 a 0 sobre o Goiás, na ida das quartas de final da Copa do Brasil, no Morumbi, quando o meia-atacante lançou para o artilheiro balançar as redes.

A comprovação de que um não depende do outro ocorreu no último domingo, quando Luis Fabiano fez o gol do triunfo por 1 a 0 sobre o Bahia, também no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro, enquanto Lucas já estava com a Seleção Brasileira. E o centroavante terá que se virar sem o amigo nos próximos dois jogos, já que o meia-atacante desfalcará o clube contra Inter e Santos para ficar à disposição de Mano Menezes.

Continua após a publicidade
Publicidade