Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Sem crise após tropeço, Leão nega castigo em concentração antecipada

Por Da Redação 14 fev 2012, 11h59

Os dois dias de preparação no CFA de Cotia não foram suficientes para que o São Paulo conseguisse a vitória diante do Corinthians no último domingo. Agora, visando ao duelo contra o Paulista de Jundiaí na quinta-feira, Leão decidiu iniciar a concentração logo após o treino coletivo desta terça, no próprio CT da Barra Funda.

Os jogadores do Tricolor só deixarão o CT no final da tarde de quinta-feira, quando enfrentam o Paulista de Jundiaí pela oitava rodada do Estadual, no Morumbi, às 19h30 (de Brasília). Mesmo com a queda da liderança para a quarta colocação com o tropeço diante do arquirrival, Leão nega que a concentração antecipada seja um castigo para os comandados.

‘Não é castigo, é descanso. Só vamos ter um jogo nesta semana, podemos nos dar ao luxo de ficar mais um tempo nas coisas boas que temos, com os companheiros. Ninguém dá castigo por vitória ou derrota em clássico, porque é uma partida atípica. Temos que incentivar para que não haja repetição da derrota nos próximos compromissos’, disse Leão, que reforçou o discurso dos jogadores do São Paulo a respeito da aplicação do aprendizado diante do Paulista e do Bragantino, próximos adversários do Tricolor.

A derrota diante do Corinthians não é vista pelo treinador como o início de uma crise. De acordo com Leão, as críticas foram sentidas e aplicadas apenas em melhorias: ‘As críticas vieram fortes, mesmo sendo a primeira derrota. Se olharmos como foi o jogo dá pra ver que a derrota poderia não ter acontecido. É um erro de posicionamento, não dá para esconder. Levamos mais pressão em um jogo vibrante. O torcedor tem direito de ficar chateado, perdeu de novo do arquirrival, mas tem um pouquinho de desculpa, porque o time foi superior em alguns momentos e isso reconforta’.

Confiante na reação do Tricolor paulista já na próxima rodada, Leão crê que sua equipe tem homens, tamanho e avisos suficientes para evitar novas falhas defensivas e se reerguer. ‘É tudo o que acontece antes do mês 4’, encerrou o treinador, que pede paciência à torcida vê abril como hora de sua afirmação.

Continua após a publicidade

Publicidade