Clique e assine a partir de 9,90/mês

Sem condições de treinar no Brasil, COB enviará 200 atletas para Europa

Comitê Olímpico do Brasil cria programa emergencial para ajudar esportistas a se prepararem para competições classificatórias para os Jogos de Tóquio-2020

Por Danilo Monteiro - 1 jun 2020, 19h05

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) anunciou nesta segunda-feira 1º, em nota, que enviará uma delegação de 200 atletas para treinar na Europa enquanto o coronavírus impede a preparação dos esportistas em solo brasileiro. Ainda em isolamento social, os brasileiros estão em desvantagem na preparação para competições internacionais, pois atletas de outros países que saíram da fase aguda da pandemia já estão retornando aos treinos.

“O COB entende o momento peculiar que todo o mundo está passando, com impacto direto em todos os segmentos da sociedade, inclusive o esporte. Nesse sentido, cumprimos nosso papel de manter o Sistema Olímpico saudável e oferecer a nossos atletas as melhores condições de treinamento e performance, com a máxima segurança”, explicou o presidente do COB, Paulo Wanderley Teixeira.

Os atletas serão divididos em grupos e viajarão entre julho e dezembro de 2020. O primeiro país a receber os atletas brasileiros será Portugal, que está em fase adiantada no controle da Covid-19. O investimento do COB será de 15 milhões de reais para cobrir as passagens, hospedagem e alimentação dos atletas, utilizando recursos provenientes da Lei Piva. Segundo o COB, o envio dos atletas cumprirá todos os protocolos de saúde e segurança do país europeu.

“Temos uma relação estreita com o Comitê Olímpico Português e já tínhamos iniciado as negociações para a Missão Paris 2024. Com a pandemia, acreditamos que usar as instalações esportivas portuguesas nos permitirá oferecer aos atletas locais seguros e de alto nível para que retomem suas atividades”, disse o diretor geral do COB, Rogério Sampaio.

Continua após a publicidade

O envio de atletas faz parte de um programa emergencial do COB para auxiliar os competidores brasileiros. A entidade informou que está finalizando um protocolo de cerca de 200 páginas para preparar a volta dos treinos e abertura gradual do Centro de Treinamento do Time Brasil, no Rio de Janeiro.

“Para o COB é preocupante ver nossos atletas sem condição de treinamento em virtude da necessidade real de mantermos o isolamento para controle da pandemia no país. Sabemos o quão importante é vencermos a batalha contra o coronavírus, ao mesmo tempo que trabalhamos para que o Time Brasil esteja em pé de igualdade com seus principais adversários”, ressaltou o vice-presidente do COB, Marco Antônio La Porta Jr.

A entidade distribuirá igualmente 7 milhões de reais entre as confederações para auxiliar no combate ao coronavírus, como a compra de equipamentos e testes. Além disso, mais 10 milhões serão destinados “para projetos ligados à área de desenvolvimento esportivo junto às Confederações”, garantiu o COB.

Publicidade