Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Seleção vê torneio no Pacaembu como ensaio para Londres-2012

Faltando cerca de oito meses para os Jogos Olímpicos de 2012, a Seleção Brasileira feminina de futebol terá nos próximos dias um dos principais ensaios para a competição em Londres. As atletas disputarão a terceira edição do Torneio Internacional Cidade de São Paulo entre os dias 8 e 18 no Pacaembu.

‘É um campeonato importante, que serve como avaliação para o futuro. Escolhi um grupo que mescla experiência e juventude e vou conseguir saber se dará liga ou não. É uma preparação de luxo para a gente encurtar o caminho para a medalha de ouro olímpica’, analisa o técnico Jorge Barcellos, que assumiu o cargo há duas semanas.

Uma das mais experientes, Marta concorda com o chefe e vê o torneio como oportunidade de ajeitar o time para Londres. Mas para a atacante do New York Flash, o importante mesmo será proporcionar o encontro da Seleção com a torcida brasileira.

‘Normalmente o futebol feminino só é lembrado em época de Mundial e Olimpíada. Então esse torneio serve para manter vivo o esporte no País, que infelizmente ainda não tem uma Liga forte. Vamos mostrar o nosso potencial para o povo brasileiro e torcer para que aos poucos o futebol feminino ganhe seu espaço no Brasil’, declara Marta.

Na primeira fase da competição, Brasil, Chile, Dinamarca e Itália se enfrentam em um quadrangular, do qual os dois melhores colocados se garantem na final, enquanto os outros fazem a disputa do terceiro lugar. Os jogos são de quinta a domingo, todos no Pacaembu.

‘Não são as melhores adversárias possíveis, mas o nível é bom. A Itália é sempre difícil, a Dinamarca tem uma escola antiga no esporte e o Chile vem crescendo, mostrou isso com o Colo Colo na final da Copa Libertadores (vencida pelo São José)’, afirma Barcellos.

Apesar do discurso do treinador, o principal adversário do Brasil deve ser o cansaço. Algumas atletas até foram poupadas no Pan-americano de Guadalajra, em outubro, mas mesmo assim vêm desgastadas pelas temporadas em seus clubes – caso de Cristiane, que há uma semana encerrou sua participação no Campeonato Russo, pelo Football Club Rossyanca.

‘A superação tem que prevalecer. Esse torneio é importante, então elas terão que driblar as dificuldades. São 23 jogadoras, podemos fazer trocas para tentar extrair o máximo de cada uma’, avisa o comandante, que ainda fará mais sete convocações para treinos até os Jogos Olímpicos. Até lá, o Brasil também deve participar de uma competição amistosa com Japão e Estados Unidos.