Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Segundo tempo diante do Palmeiras vira exemplo para a Ponte Preta

A derrota por 2 a 1 para o Palmeiras na noite deste sábado pode ter acabado com a série de quatro jogos de invencibilidade da Ponte Preta, mas ao menos serviu para a equipe campineira tirar exemplos do embate. O técnico Gilson Kleina aprovou o segundo tempo da Macaca, que se recuperou em campo após os gols sofridos no início e esteve perto de empatar a partida.

‘Entramos com intensidade menor do que a do Palmeiras. A partir do segundo gol colocamos a bola no chão e fizemos o jogo que estamos acostumados. O segundo tempo foi um jogo aberto, os dois times tiveram chances e o Lauro fez grandes defesas. Fizemos as mudanças para por o time para frente e faltou um pouquinho de tranquilidade para colocar a bola para dentro, mas jogamos de igual para igual’, analisou o treinador.

Entre os jogadores da Ponte, a impressão geral do jogo contra o Palmeiras também foi a de que o segundo tempo da Macaca foi positivo, e equilibrou a partida.O zagueiro Diego Sacoman é um dos que considerou a apresentação pontepretana boa, principalmente no segundo tempo. ‘Nós perdemos, mas não foi uma derrota onde não jogamos. Começamos mal e depois igualamos, tivemos oportunidades de empatar e virar, mas infelizmente não deu’, diz. Para o atacante Roger, o time realmente precisa levar a lição tirada neste jogo para o resto do campeonato. ‘Pagamos pelo começo ruim. Depois jogamos de igual para igual e agora levamos esse final bom para os próximos jogos’.

O próximo jogo da Ponte no Campeonato Paulista é o Dérbi de Campinas, diante do Guarani, no domingo. Antes, na quarta-feira, a equipe entra em campo pela Copa do Brasil.