Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Scolari despista sobre reforços para 2012, mas elogia Obina

Por Da Redação 19 nov 2011, 10h38

O técnico Luiz Felipe Scolari, por diversas vezes, reclamou do vazamento de informações sobre possíveis reforços no Palmeiras. Para 2012, ano em que o técnico espera maior investimento em contratações, o comandante preferiu adotar o mistério, e tratou de despistar quando perguntado sobre os alvos do alviverde.

Depois do empate com o Vasco, no Pacaembu, Felipão advertiu que após muitas apostas e pouco investimento, espera jogadores mais badalados para o clube no próximo ano, pedindo para comer ‘carne, salada e camarão’, diferente do ‘pão, arroz e feijão’ de 2011. Em entrevista à TV Bandeirantes, porém, o presidente Arnaldo Tirone disse que ‘camarão demais enjoa’, dando a entender que não fará loucuras em contratações.

Questionado sobre o que disse o mandatário, Felipão foi evasivo e não demonstrou preocupação. ‘O presidente é o Tirone, não eu. Se ele respondeu que não tem nenhuma contratação, não sou eu que tenho que dizer diferente. Entre nós, comissão, departamento de futebol, coordenação, presidente, estamos fazendo a coisa corretamente. Pode ser que de agora em diante, imaginando que não saia mais nada [de informações] é melhor’, despistou.

Repentido por diversas vezes que não sabia de nomes que poderiam reforçar o Palmeiras na próxima temporada, Felipão foi vago mais uma vez para comentar a afirmação de César Sampaio, gerente de futebol do clube, que disse ter três contratações próximas de um acerto para o ano que vem.

‘Não sei de quem ele [César Sampaio] está falando. Possivelmente, entre nós, a gente saiba, mas não podemos falar se o nome anima ou não. Mas tá bom, se tem três [jogadores próximos], que legal’, disse.

Apesar do mistério, Scolari elogiou um dos nomes ventilados para reforçar a equipe no próximo ano: o atacante Obina, que passou pelo Verdão em 2009. ‘Quando eu vi ele jogar pelo Atlético-MG, pelo Palmeiras, é um jogador de área, de bom porte físico e qualquer técnico gosta da forma como ele joga. Depende de quem joga ao lado, às vezes tem que ter uma mudança, mas é um jogador bom para atuar no ataque de qualquer equipe’, completou.

Continua após a publicidade

Publicidade