Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Schumacher faz nova cirurgia e tem leve melhora

'Não é possível fazer planos', disse Saillant, médico e amigo do ex-piloto

Michael Schumacher passou por um novo procedimento cirúrgico durante a madrugada, disseram os médicos que cuidam do ex-piloto nesta terça-feira. A cirurgia foi realizada para diminuir a pressão intracraniana e, de acordo com os médicos, “há sinais de pequenas melhoras” no quadro-clínico geral de Schumacher, que permanece em coma induzido no Hospital da Universidade de Grenoble (CHU), na França. A médica Jacqueline Hubert, que participou da cirurgia, confirmou que “alguns sinais que nos levam a crer que a situação está melhor do que ontem”.

Os médicos constataram a necessidade de uma nova cirurgia após um exame de tomografia com scanner feito na noite de segunda-feira. Na operação, foi drenado o hematoma situado na área esquerda do cérebro, e instalado um dispositivo para diminuir a pressão intracraniana. Porém, mesmo com a leve melhoria no estado de saúde do único heptacampeão de Fórmula 1, “não podemos dizer que ele está fora de perigo”, afirmou Jean-Francois Payen, porta-voz do hospital. O médico Gerard Saillant, amigo de Schumacher que está no hospital acompanhando os procedimentos, disse à imprensa que “há altos e baixos, mas ele está melhor do que ontem”.

Leia também:

Médicos dizem que Michael Schumacher luta pela vida

Schumacher bateu a cabeça e está sob cuidados médicos, diz porta-voz

Schumacher faz campanha contra excesso de velocidade

A partir de agora, o ex-piloto deve permanecer em hipotermia terapêutica e em coma induzido e sob constante acompanhamento da equipe médica para constatar como seu quadro vai evoluir. “Não é possível fazer planos para o futuro”, disse Saillant. Os médicos explicaram que as próximas horas são momentos críticos na estratégia terapêutica que eles têm em mente. Questionados se Michael Schumacher poderia ser transferido para um centro hospitalar mais equipado, os médicos afastaram essa possibilidade. “A transferência é considerada perigosa nesse momento”, disseram na entrevista. “Ganhamos um pouco de tempo em seu tratamento”, acrescentaram os médicos do hospital de Grenoble, que insistiram que não podem prever a evolução do paciente e ressaltaram que ainda resta “caminho a percorrer”. A esposa de Schumacher, Corinna, assim como seus filhos, Gina Maria, de 16 anos, e Mick, de 14, e seu irmão, o também ex-piloto Ralf, o acompanham no hospital.

No último domingo, o maior campeão da história da Fórmula 1 bateu a cabeça contra uma pedra após uma queda enquanto esquiava com a família em Meribel, a cerca de 600 quilômetros de Paris. Ele foi atendido por dois funcionários do resort e encaminhado ao Centro Hospitalar de Moûtiers. Logo depois, foi transferido para o hospital de Grenoble, onde há um centro especializado em traumas.