Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Schumacher chora ao ouvir a voz dos filhos e da mulher

A revista italiana 'Autosprint' publicou artigo em que diz que o heptacampeão da F1 está imóvel, mas faz fisioterapia e demonsta emoções ao ouvir a voz da família

A revista italiana Autosprint relatou as condições do ex-piloto alemão Michael Schumacher, um ano após o acidentre que sofreu em uma estação francesa, ao cair do esqui e bater a cabeça numa rocha. A publicação afirma que Schumacher não fala, tem os músculos faciais imóveis mas responde a estímulos sonoros com os olhos. Além disso, já fica sentado na cadeira de fisioterapia e faz exercícios para os músculos. Segundo a revista, Schumacher, que completa 46 anos no sábado, faz fisioterapia em uma cadeira à frente da janela de sua casa, em Gland, a pouco mais de 30 km de Genebra e a quase a mesma distância de Lausanne, na Suíça. A publicação semanal especializada em automobilismo relata ainda, em artigo assinado pelo diretor de redação, Alberto Sabbatini, que o sete vezes campeão da Fórmula 1 chora ao escutar a voz dos filhos e da mulher Corinna.

Leia também:

Diretor de estação de esqui diz que Schumacher esquiou em local proibido

Um ano após acidente, situação de Schumacher ainda é um mistério

Schumacher �está paralisado e em uma cadeira de rodas�’

Schumacher: numa data histórica, família agradece aos fãs

Mick Betsch, filho de Michael Schumacher Mick Betsch, filho de Michael Schumacher

Mick Betsch, filho de Michael Schumacher (/)

Segundo Sabbatini, que acompanha o automobilismo há mais de duas décadas, o artigo não tem ilações, pressuposições ou falsos otimismos, pois ele conversou com pessoas ligadas a Schumacher e confrontou as informações entre elas. Segundo ele, o que deixa a família esperançosa em uma recuperação é que Schumacher demonstra ter atividades cerebrais, ele consegue demonstrar emoções – chora ao ouvir a voz de amigos e também dos filhos, Gina Maria, de 17 anos, e Mick, kartista de 15 anos.

Apesar disso, segundo o jornalista, Schumacher recebe exercícios para tonificar os músculos faciais, atrofiados pelo longo períodos de imobilidade, e por vezes é colocado na posição vertical em uma cadeira em frente das janelas da casa que tem vista para os picos nevados dos Alpes Suíços e também para as margens do Lago Genebra, numa pequena cidade de pouco mais de 12.000 habitantes. Nestes momentos, Schumacher tem os olhos abertos, mas o olhar muitas vezes fica “perdido no vazio”.

Leia também:

Família de Schumacher gasta R$ 1,5 mi por mês com tratamento, diz jornal

Médico: Schumacher pode levar 3 anos para se recuperar

Schumacher sofreu um traumatismo craniano no final de 2013 ao cair de esqui e bater a cabeça em uma pedra na estação de Méribel, nos Alpes Franceses. Ele passou meses no hospital e depois foi transferido para sua casa, onde passa por um tratamento “delicado, longo e difícil, e sem prazo para uma recuperação plena”, de acordo com a família.

(Com agência Gazeta Press)