Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Schumacher: assessora diz que recuperação será longa e difícil

Após as chocantes declarações do ex-piloto francês Philippe Streiff sobre o estado de saúde de Michael Schumacher – na última semana, ele disse que o alemão estava sentado em uma cadeira de rodas e com problemas na fala e memória -, a assessora do heptacampeão, Sabine Kehm, afirmou em entrevista no final de semana à emissora RTL, da Alemanha, que Schumacher está evoluindo, apesar da situação delicada, e que será necessário muito tempo para ser notada alguma melhora. Por isso não é possível determinar uma data para que esteja completamente recuperado.

Leia também:

‘Schumacher �está paralisado e em uma cadeira de rodas�’

Schumacher: numa data histórica, família agradece aos fãs

Família de Schumacher gasta R$ 1,5 mi por mês com tratamento, diz jornal

Médico: Schumacher pode levar 3 anos para se recuperar

“Ele está progredindo, levando em consideração a complicada situação, mas vai ser um longo e difícil processo. Vamos dar tempo ao tempo. Só posso voltar a agradecer o apoio que a família tem recebido. Estão todos muito tocados com as mensagens de carinho. Acho que esta energia positiva pode ter um bom efeito”, disse Kehm.

Leia também:

Câmera no capacete causou lesão no cérebro de Schumacher, diz jornalista

Schumacher deixa hospital e seguirá tratamento em casa

Schumacher tem melhora lenta, mas visível, diz mulher

Schumacher sofreu o acidente no dia 29 de dezembro de 2013, enquanto esquiava nos Alpes Franceses. O alemão caiu e bateu a cabeça em uma pedra, foi socorrido e levado ao Centro Hospitalar Universitário de Grénoble, na França, onde ficou por quase seis meses. De lá, foi transferido para o Hospital Universitário de Cantão de Vaud, na Suíça, onde ficou até setembro. Nesse tempo, Schumacher passou por duas cirurgias para diminuir a pressão intracraniana e ficou um mês em coma induzido. De Vaud, Schumacher foi para sua mansão onde continua em tratamento, na pequena cidade suíça de Gland, perto de Genebra e a 44 quilômetros do hospital.

(Com agências Gazeta Press, EFE e AFP)