Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

São Paulo vence, afunda Vitória e sonha com título

Na quarta-feira, equipe pega o Inter no Morumbi, em jogo antecipado da 35ª rodada

Vitória e São Paulo fizeram um jogo parecido neste domingo, no Barradão, mas a evidente diferença de momento entre eles definiu o vitorioso. Os baianos foram dominados no primeiro tempo, quando levaram o primeiro gol, se sobressaíram e empataram no segundo, mas quando estavam melhores viram uma falha individual definir o triunfo paulista por 2 a 1, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O resultado deixou o São Paulo ainda com esperança de título, agora dois pontos atrás do Cruzeiro – 64 a 62 -, que ainda atua na rodada. Na quarta, a equipe pega o Inter no Morumbi, em jogo antecipado da 35ª rodada. O Vitória, por sua vez, segue em situação desesperadora, com apenas 34 pontos, em 17º, dentro da zona de rebaixamento. No domingo que vem, faz duelo direto com a Chapecoense, em Santa Catarina.

Em meio à maratona de jogos pelo Brasileirão e pela Sul-Americana, o São Paulo entrou sem Paulo Miranda, Hudson, Kaká, Michel Bastos e Alan Kardec, que vinham sendo titulares. Mas foi justamente Kaká, vindo do banco no segundo tempo, quem decidiu a vitória após falha grotesca de Roger Carvalho. Antes, Luis Fabiano havia inaugurado o placar e Kadu, em lindo chute de longe, empatado.

O jogo O Vitória começou embalado, dominando as ações e tendo em Vinícius o homem mais acionado nos primeiros minutos. Aos oito, Dinei recebeu pela direita e tocou no meio para o atacante. Ele recebeu com espaço, dominou, mas na hora de bater não pegou do jeito que queria e facilitou para Rogério Ceni.

A chance acordou o São Paulo, que equilibrou as ações e logo na primeira chegada de fato ao ataque conseguiu abrir o placar. Aos 13 minutos, Osvaldo bateu falta pelo lado esquerdo, Luis Fabiano aproveitou falha da marcação e subiu sozinho, quase na linha da pequena área, para desviar sem chance para o goleiro.

O São Paulo encontrava muito espaço na intermediária do Vitória, onde Ganso comandava as ações, mas também protagonizava algumas desatenções, como aos 23 minutos. Após cobrança rápida de falta, Nino Paraíba foi à linha de fundo, cortou Alvaro Pereira e cruzou na cabeça de Dinei, que desviou rente à trave.

Talvez pelo forte calor, o ritmo do primeiro tempo caiu e somente na reta final as equipes voltaram a criar. Primeiro, foi o São Paulo, novamente aproveitando os espaços na intermediária. Aos 38, Denilson arriscou de longe e acertou a trave. No minuto seguinte, Edno subiu sozinho após cobrança de escanteio, mas cabeceou fraco e Alvaro Pereira afastou.

O segundo tempo começou com o São Paulo ainda aproveitando os espaços no ataque, mas quem chegou primeiro foi o Vitória, que só não marcou porque Rogério Ceni fechou o gol de forma espetacular. Dinei recebeu na área, dominou e rolou para Richarlyson, que bateu firme, mas o goleiro são-paulino voou para espalmar. O rebote ficou com Juan, que finalizou, mas Rogério de novo cresceu e defendeu.

Quando a torcida do São Paulo ainda comemorava a sequência, o Vitória empatou em lance de muita felicidade de Kadu. A bola sobrou na intermediária e o zagueiro bateu de qualquer jeito, de forma até meio despretensiosa. O chute não foi tão forte, mas pegou um efeito surpreendente, encobrindo Rogério e entrando no ângulo direito.

O gol incendiou o jogo. O Vitória se lançou ao ataque em busca da virada e Vinícius acertou de raspão o travessão em chute quase sem ângulo. Isso gerou ainda mais espaço para o São Paulo, que seguia assustando em chutes de fora da área. Em dois consecutivos, Ganso exigiu grandes defesas de Wilson.

Vinícius era o jogador mais participativo do Vitória, mas perdia chance atrás de chance. A melhor aconteceu aos 26, quando arrancou sozinho e bateu por cima. A resposta do São Paulo foi fatal. Aos 32, Roger Carvalho bobeou na defesa sozinho, e entregou no pé de Luis Fabiano, que tocou para Kaká. De frente para o gol, o meia deslocou Wilson e marcou. O gol acabou com a esperança dos donos da casa, que só tiveram mais uma chance até o fim do jogo, com Willie, que parou em Rogério mais uma vez.

(Com Estadão Conteúdo)