Clique e assine a partir de 8,90/mês

São Paulo tem pior público na Libertadores em 23 anos

Apenas 16.689 pagantes foram ao estádio assistir à goleada por 4 a 0 sobre o Danubio, do Uruguai. Torcida protestou contra o valor dos ingressos

Por Da Redação - 26 fev 2015, 10h06

Apesar da convincente goleada por 4 a 0 sobre o uruguaio Danubio, o São Paulo estabeleceu um recorde negativo na noite desta quarta-feira. Apenas 16.689 pagantes compareceram ao Morumbi e registraram o pior público do time como mandante na Copa Libertadores em 23 anos. As arquibancadas do estádio só estiveram mais vazias pela última vez em 1992, quando 12.241 pessoas assistiram à vitória por 1 a 0 sobre o Criciúma nas quartas de final.

Nos últimos dez anos, os piores públicos registrados no Morumbi foram de 19.722 pagantes contra o Alianza Lima, na estreia de 2007, e 23.221, contra o América de Cali, na primeira fase do torneio de 2009. O número desta quarta-feira é menor que a metade do público registrado na estreia da última vez em que o São Paulo participou do torneio, em 2013, quando mais de 41.000 pessoas compareceram ao Morumbi para a partida contra o Bolívar, da Bolívia. No ano passado, a média de público do clube no Campeonato Brasileiro do ano passado foi de 28.500 pagantes por partida, a terceira maior do torneio.

Leia também:

Em noite de Pato, São Paulo goleia o Danubio

Segunda derrota na Libertadores acende alerta no Atlético-MG

Continua após a publicidade

Copa do Brasil: Flamengo vence, mas não evita jogo de volta

Uma das razões para queda no número de torcedores foi o aumento do valor do ingresso. As entradas avulsas para o jogo custavam a partir de 120 reais. A medida é uma estratégia do clube de atrair sócios torcedores, que pagaram 40 reais pelas entradas. A estratégia conseguiu atrair o número recorde de 8.000 novas adesões ao programa no mês de fevereiro. O São Paulo lançou ainda um pacote de ingressos para primeira fase como opção para a torcida. As entradas para cada partida custam 100 reais.

A alteração nos preços causou reclamações. Torcedores levaram faixas para a porta do estádio contra os altos valores e criticaram a diretoria. Cambistas chegaram até mesmo a cobrar abaixo do pedido pelo clube pelos ingressos. Nos dias anteriores, mesmo quem conseguiu comprar sua entrada não saiu satisfeito. A troca de empresa fornecedora dos bilhetes causou transtornos como a lentidão do sistema e a demora para trocar os vouchers pelos ingressos.

O time também lamentou o baixo público. “Temos de mostrar mais para que o torcedor venha mais no campo. Também caiu um dilúvio em São Paulo, mas acho que o torcedor deve vir em maior número no próximo jogo da Libertadores”, comentou o goleiro e capitão Rogério Ceni ao fim da partida.

Na TV, o interesse dos são-paulinos também ficou abaixo do esperado. De acordo com dados prévios do Ibope, a Globo, emissora que transmitiu o jogo com exclusividade em TV aberta, ficou boa parte do tempo atrás da Record – que transmitia uma entrevista exclusiva de Suzane Von Hichthofen para o programa Gugu. O próximo compromisso do São Paulo no Morumbi pelo torneio é no dia 18 de março, contra o San Lorenzo.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade