Clique e assine a partir de 8,90/mês

São Paulo festeja a vaga, mas teme exaustão e desfalques

Depois de batalha em Guayaquil, time ainda terá de viajar a Salvador e Medellín

Por Da Redação - 6 nov 2014, 09h28

“Olho para os caras ali no vestiário e não sei quem vou colocar para jogar. Mas não tem o que fazer. Temos de arregaçar as mangas e fazer os jogadores entenderem que é assim mesmo”, disse Muricy

A classificação à semifinal da Copa Sul-Americana não foi o único resultado que o São Paulo trará da batalha travada na noite de quarta-feira em Guayaquil, no Equador. Se o jogo teve um desfecho positivo, com a vaga na próxima fase assegurada, o time paulista teme as consequências negativas do difícil jogo contra o Emelec (vitória equatoriana por 3 a 2, o que garantiu a vaga aos brasileiros, que fizeram 4 a 2 na ida). Além de estender sua maratona de jogos nesta reta final da temporada, o clube pode sofrer com mais desfalques nas próximas partidas. O volante Souza, que atuou mesmo com dores no púbis para suprir a ausência do lesionado Maicon, e o atacante Alan Kardec, que vem de longa sequência de jogos, provavelmente não terão condições de ir a campo contra o Vitória, no domingo, em Salvador pelo Campeonato Brasileiro.

Leia também:

São Paulo sofre de novo, mas avança na Sul-Americana

Briga pelo G4 pega fogo – mas pode até não valer de nada

Continua após a publicidade

Muricy critica CBF e brinca que pode ter de substituir Kaká

“Estamos perdendo jogadores importantes. Toloi e o Pato já estavam fora, agora perdemos o Maicon. O Souza está arrebentado, jogando no sacrifício”, disse o técnico Muricy Ramalho ainda em Guayaquil, de onde a delegação sairia nesta quinta-feira, com chegada à capital paulista prevista para a madrugada de sexta. “Não tem outro jeito. A gente vai chegar às 3 horas da manhã e já vamos viajar no sábado. Olho para os caras ali no vestiário e não sei quem vou colocar para jogar. Mas não tem o que fazer. Temos de arregaçar as mangas e fazer os jogadores entenderem que é assim mesmo.” Depois de jogar em Salvador, o São Paulo terá de se preparar para mais uma viagem, agora para Medellín, na Colômbia, para um reencontro com o Atlético Nacional, que o próprio São Paulo eliminou da Copa Sul-Americana no ano passado, nas quartas de final.

A equipe colombiana avançou à semifinal deste ano ao vencer o César Vallejo, do Peru, na madrugada desta quinta (no horário de Brasília), repetindo o resultado da partida de ida. Pelo que informa a tabela publicada nos sites da Conmebol e da Copa Sul-Americana, o São Paulo receberá o Atlético na partida de volta, provavelmente em 26 de novembro. A ida, na Colômbia, está agendada para o meio da próxima semana – possivelmente no dia 12, quarta – no Estádio Atanasio Girardot. Nesse jogo, o time brasileiro não terá Álvaro Pereira, que estará na seleção uruguaia. Depois das viagens à Colômbia e à Bahia, o São Paulo terá um respiro, pelo menos no que diz respeito aos deslocamentos. Serão quatro jogos em seu Estado: contra o Palmeiras, o Inter e o Atlético Nacional, no Morumbi, o contra o Santos, na Vila Belmiro.

A equipe de Medellín é a atual tricampeã colombiana e briga para se isolar como maior campeã do futebol de seu país. Caso siga vivo no Campeonato Colombiano, o Atlético também estará dividido entre duas competições quando pegar o São Paulo. Os dois times já se enfrentaram nas quartas de final da Sul-Americana do ano passado. O São Paulo venceu por 3 a 2 em casa e depois segurou o empate sem gols na Colômbia. O time de Muricy Ramalho avançou mas acabou sendo eliminado pela Ponte Preta na semifinal. Desta vez, a competição continental tem uma importância especial para o São Paulo, já que o time se despede de Rogério Ceni e Kaká no fim da temporada e o time quer o título para premiar os ídolos da torcida. Os semifinalistas da outra chave serão decididos nesta quinta, com duelos entre River Plate e Estudiantes e Boca Juniors e Cerro Porteño.

(Com agência Gazeta Press e Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade