Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

São Paulo enfrenta colombianos pela Copa Sul-Americana

No Morumbi, equipe jogará contra o Atlético Nacional, pelas quartas de final

Por Da Redação - 30 out 2013, 08h07

Atual campeão da Copa Sul-Americana, o São Paulo começou o torneio um pouco displicente, já que estava preocupado com o possível rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Mas o time do treinador Muricy Ramalho conseguiu se recuperar no Brasileirão, ocupa a 9ª posição, e, agora, se concentra no torneio que venceu em 2012 – e que garante classificação para a próxima Copa Libertadores. Nesta quarta-feira, a equipe jogará as quartas de final contra o Atlético Nacional, de Medellín (Colômbia), no estádio do Morumbi, às 21h50.

Leia também:

Com três de Aloísio, São Paulo vence o Internacional no RS

São Paulo perde quatro mandos de campo por briga de torcida

Publicidade

A difícil classificação contra a Universidad Católica contagiou o grupo e aumentou o desejo de conquistar o bicampeonato. Terminar um ano tão ruim com mais um troféu seria um lucro imenso para quem há poucos dias se limitava a fazer contas para cair não para a série B.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook Siga VEJA Esporte no Twitter

O ritmo forte dos últimos jogos torna o cansaço um dos adversários a ser vencido nesta quarta. Com poucas opções disponíveis, Muricy teve de utilizar os mesmos jogadores e trabalha para evitar lesões musculares. A principal novidade estará no ataque. Luis Fabiano volta após seis jogos e tem escalação garantida desde o fim de semana. A dúvida é sobre quem será seu parceiro. Ademilson e Aloísio, que se destacaram no período de ausência do titular, disputam uma vaga e a tendência é que o segundo seja o escolhido após marcar cinco gols nos últimos dois jogos.

O meio de campo também terá mudanças. Denilson e Maicon voltarão à equipe após suspensão e terão a companhia de Jadson. Ofuscado pela ótima fase de Paulo Henrique Ganso, ele terá a chance de mostrar seu talento porque Ganso cumprirá suspensão pela expulsão contra a Universidad Católica. “São dois grandes jogadores, mas muda pouco, eles têm características semelhantes e me dou muito bem jogando com o Jadson”, disse Luis Fabiano.

Publicidade

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade