Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

São Paulo descarta atletas do Inter e quer dinheiro para liberar Dagoberto

Por Da Redação 1 nov 2011, 06h41

Emerson Leão afirma que Dagoberto já firmou um pré-contrato com o Internacional, mas a diretoria do São Paulo ainda desconfia e diz aguardar uma confirmação oficial. Caso o acerto se concretize, os tricolores não descartam a hipótese de liberar o atacante antes de abril de 2012, quando o vínculo do camisa 25 com o clube do Morumbi chega ao fim e ele estará livre para defender qualquer outra equipe.

De acordo com o vice-presidente de futebol são-paulino, João Paulo de Jesus Lopes, uma troca não é cogitada e os gaúchos vão precisar colocar a mão no bolso caso queiram contar com o atleta já no início da próxima temporada. ‘Com todo o respeito, não focamos em nenhum jogador do Internacional. Nós já tivemos interesse no Guiñazu, mas eles impuseram diversas dificuldades e não foi possível’, informou o dirigente.O Inter não nega seu desejo de contar com Dagoberto, mas também não confirma que um pré-contrato já esteja assinado. O empresário Marcos Malaquias, que cuida da carreira do atleta, também nega a existência de um documento e só confirma que não haverá renovação com o São Paulo. Mas o agente também garante que o jogador ficará no clube até abril.

‘Ele [Malaquias] precisa colocar isso em um papel timbrado e mandar para a gente. Não adianta colocar no Twitter’, acrescentou Jesus Lopes. ‘Ninguém revelou para o Leão que há um pré-contrato, nem o próprio Dagoberto. O que há são indícios. A gente tem algumas informações que nos levam a supor que ele pode ter feito algum tipo de antecipação, mas não fomos comunicados. Oficialmente, ele ainda está em tratativas de renovação com o São Paulo’, disse.

Desde o início do ano, Dagoberto manifesta sua intenção de sair, falando até da demora da diretoria do Tricolor em procurá-lo para renovar. Como tem menos de seis meses de vínculo vigente, ele está livre para assinar pré-contrato com qualquer equipe e deixar o São Paulo, que gastou R$ 5,4 milhões para trazê-lo em 2007, sem receber nada.

Leão diz que conta com o jogador pelo menos até o fim do ano, mas exige comprometimento e dignidade. Caso notem insatisfação, os próprios dirigentes são-paulinos devem sugerir a Dagoberto que antecipe sua despedida. Mas, nesse caso, não aceitam ficar com as mãos vazias.

‘O São Paulo tem como regra não manter jogador que não esteja 100% satisfeito. Se o jogador não estiver satisfeito, nós liberamos. Por outro lado, temos que defender o interesse do clube. Se quiserem antecipar uma eventual saída, eles vão ter que remunerar o São Paulo, vão ter que pagar pela liberação’, completou Jesus Lopes, que já viu atletas valorizados como Miranda e Richarlyson deixarem o clube ao fim de seus vínculos sem compensação financeira.

Continua após a publicidade
Publicidade