Clique e assine a partir de 9,90/mês

São Paulo chega ao Japão para a Copa Suruga

Equipe brasileira enfrentará o Kashima Antlers nesta quarta-feira

Por Da Redação - 5 ago 2013, 09h31

O São Paulo chegou nesta segunda-feira ao Japão, para a disputa da Copa Suruga na quarta, contra o Kashima Antlers. Sem muito tempo de preparação e adaptação ao fuso horário japonês, o técnico Paulo Autuori levou os jogadores para o primeiro treino, no centro de treinamento do próprio Kashima Antlers. O Japão é a última parada da excursão são-paulina, que passou pela Alemanha, perdendo os dois jogos da Copa Audi (para Bayern de Munique e Milan), e Portugal, quando venceu a Copa Eusébio com vitória sobre o Benfica. De Lisboa, a delegação fez um longo voo até Kashima, com escala em Paris.

Leia também:

São Paulo vence após 14 jogos de jejum

São Paulo é derrotado pelo Milan por 1 a 0 em Munique

Rogério Ceni perde pênalti e Bayern vence o São Paulo

Continua após a publicidade

Do grupo que estava na Europa, cinco jogadores voltaram antes ao Brasil. O zagueiro Paulo Miranda sofreu uma contusão, enquanto o meia Jadson, o atacante Osvaldo, o zagueiro Rafael Toloi e o volante Fabrício foram poupados do desgaste da viagem ao Japão. A preocupação de Autuori é que eles estejam descansados para o jogo contra a Portuguesa, no domingo, no Canindé, pelo Campeonato Brasileiro. No primeiro treino em Kashima, após quase 19 horas de viagem, a atividade ficou restrita à academia, com cerca de 1 hora de exercícios para acelerar a adaptação ao fuso horário.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

A exceção foram os goleiros Rogério Ceni, Denis e Renan Ribeiro, que, junto com o preparador Haroldo Lamounier, foram ao campo treinar. “Com uma sequência desgastante como essa, não há como exigir algo muito intenso. Fizemos uma atividade física mais leve, pois eles saíram de um jogo, tiveram uma longa viagem e ainda não estão adaptados ao fuso. É importante tirá-los do hotel para que não durmam. A partir de terça-feira, podemos intensificar os trabalhos”, explicou o preparador físico, Gilvan dos Santos, após o trabalho na academia.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade