Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

São Paulo busca a vaga – para evitar que crise aumente

Pressionado e abalado, o time de Leão tenta derrotar a Ponte Preta, em casa

Por Da Redação 10 Maio 2012, 07h40

“Agora jogamos nosso futuro dentro do ano e temos de ganhar de qualquer jeito”, avisou Luís Fabiano na quarta-feira

O São Paulo começou o ano bem, conseguindo igualar a maior sequência de vitórias da história do clube, com 11 triunfos consecutivos. Dentro de apenas duas semanas, porém, a boa fase deu lugar a uma crise. A eliminação na semifinal do Campeonato Paulista, contra o Santos, provocou o afastamento do zagueiro Paulo Miranda a mando da diretoria e abalou os jogadores. A saída do jogador da equipe ocorreu a poucas horas da partida contra a Ponte Preta em Campinas – e o time sentiu o impacto, perdendo por 1 a 0 no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Na noite desta quinta-feira, no Morumbi, o São Paulo precisa ganhar da Ponte por dois ou mais gols de diferença para não ser eliminado – e para não terminar o primeiro semestre com uma decepção.

Se devolver a derrota por 1 a 0 sofrida em Campinas, o São Paulo leva a definição para a cobrança de pênaltis. Quem passar enfrenta o Goiás nas quartas de final da Copa do Brasil – e só a classificação para esse duelo recolocará paz no clube. “Temos de ganhar com inteligência”, disse o técnico Leão. “O São Paulo carrega um peso muito bom, adorável, de se acostumar a grandes conquistas. Os adversários têm uma vantagem, mas o São Paulo tem tradição e bola para superá-los.” Leão decidiu repetir a escalação com que iniciou a derrota em Campinas na semana passada, com Fernandinho no esquema de três atacantes e o meia Jadson no banco. Na defesa, Douglas segue como titular, já que Piris não foi nem relacionado, e Paulo Miranda segue fora, substituído por Edson Silva.

Tabela: confira o cruzamento entre as equipes que brigam pela Copa do Brasil 2012

Ciente de que um fracasso pode trazer consequências mais radicais até do que uma possível saída de Leão, o time tenta entrar em campo deixando os problemas de lado. “Não vamos ficar nos preocupando com coisas que não voltam mais. Precisamos olhar o que não deu certo, os erros, mas não adianta ficar lamentando. O que passou, passou, vira a página. A derrota serve para aprender e corrigir”, disse Luis Fabiano, ressaltando o aspecto decisivo da partida. “Agora jogamos nosso futuro dentro do ano e temos de ganhar de qualquer jeito. Precisamos ter consciência de que é tudo ou nada.” Na Ponte Preta, o jogo é a chance de minimizar os efeitos da eliminação diante do arquirrival Guarani na semifinal do Estadual e a consolidação de uma boa jornada desde a conquista de uma vaga na primeira divisão do Brasileiro, no ano passado.

(Com agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade
Publicidade