Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

São Paulo: após cortes, apostas duvidosas e ídolo à venda

Além da dispensa de 7 jogadores, clube anuncia reintegração do lateral Juan, promove garotos da base e admite que Luís Fabiano não é mais inegociável

Por Da Redação 10 Maio 2013, 16h59

“Se tiver proposta interessante neste meio de ano, o Luís Fabiano pode ser transferido. O Lúcio, não, não acredito. Chegou agora. E eu acredito muito no exemplo do cidadão que é”, disse Juvenal

Nem só de dispensas vive o São Paulo após a eliminação na Copa Libertadores, diante do Atlético-MG – mas a lista de quem chega não deve animar nenhum torcedor, ao menos por enquanto. Além de anunciar a saída de sete jogadores, a diretoria do clube decidiu reintegrar o lateral-esquerdo Juan, que estava encostado desde que voltou no Santos, no começo do ano, e promover quatro jogadores das categorias de base: os zagueiros Diego e Lucão, o volante Allan e o meia-atacante Lucas Evangelista. Juan vinha treinando em Cotia, com os jogadores da base, mas agora será aproveitado por causa do afastamento de Cortez e Henrique Miranda – apenas Carleto sobrou entre os laterais-esquerdos do elenco. “Tenho experiência com ele no Flamengo, foi campeão da Copa do Brasil e carioca comigo”, disse o técnico Ney Franco, que conversou com o jogador no dia seguinte à derrota para o Atlético.

Leia também:

São Paulo dispensa sete em faxina pós-eliminação

Lucas volta ao São Paulo, mas para tratar de contusão

São Paulo jogará com Bayern, Milan e Manchester City

Continua após a publicidade

Os garotos promovidos das categorias inferiores preencherão alguns espaços que ficaram vagos – além de Cortez e Henrique Miranda, devem ser dispensados o volante Fabrício, o meia-atacante Cañete, o atacante Wallyson e os zagueiros João Filipe e Luiz Eduardo. A diretoria ainda apresenta neste mês o goleiro Renan Ribeiro, que está sem espaço no Atlético-MG e já assinou pré-contrato, e espera fechar com mais dois reforços do interior paulista, de onde já chegou Silvinho, atacante do Penapolense que estreou no segundo tempo do jogo de quarta-feira, no Independência. O presidente Juvenal Juvêncio, que concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira, afirmou também que não vê problema em negociar um dos pincipais ídolos da torcida: o atacante Luís Fabiano, principal goleador da equipe, mas muito criticado por não controlar os nervos.

Um dos principais ídolos recentes do clube, ele perdeu quatro jogos da Libertadores por causa de uma expulsão após o apito final contra o Arsenal, no Pacaembu. Também foi criticado pelo desempenho abaixo do esperado em jogos decisivos – marcou contra o Atlético-MG quando o jogo estava 4 a 0 e ganhou, nas redes sociais, a alcunha “o artilheiro dos gols inúteis”. Já o zagueiro Lúcio, que foi expulso no primeiro jogo contra os mineiros, ganhou uma defesa do presidente. “Se tiver proposta interessante neste meio de ano, o Luís Fabiano pode ser transferido. O Lúcio, não, não acredito. Chegou agora. E eu acredito muito no exemplo do cidadão que é. O exemplo de denodo dele é importante. É uma figura que nos empolga por essas razões, não só a técnica. É uma figura a ser preservada ainda”, afirmou o presidente.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Depois, o diretor de futebol, Adalberto Baptista, tentou amenizar o tom de crítica do chefe a alguns integrantes do elenco que fracassou tanto na competição continental como no campeonato estadual. Segundo ele, o esforço para segurar alguns atletas pode ter prejudicado o rendimento do grupo.”Recebemos no ano passado muitas propostas interessantes, até tentadoras do ponto de vista financeiro, mas não quisemos negócio. Achávamos que seriam jogadores importantes para as competições que tínhamos. A recusa acabou abalando o rendimento dos jogadores. Então, na minha opinião, o clube tem que aceitar algumas propostas.” Atletas como Rhodolfo e o afastado Cortez estão entre os que tiveram propostas recusadas. Recentemente, Luís Fabiano reclamou do excesso de críticas e lembrou ter recusado proposta do rival Corinthians antes de acertar seu retorno ao clube.

(Com agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade
Publicidade