Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Santos leva gol nos acréscimos e perde para Atlético-PR

Por Da Redação 31 jul 2011, 20h56

Por Gabriel Melloni

São Paulo – Em jogo eletrizante e cheio de alternativas, o Atlético-PR conseguiu uma grande vitória sobre o Santos, por 3 a 2, neste domingo, em Curitiba, pela 13.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Depois de estar vencendo por 2 a 0, a equipe da casa cedeu o empate, mas buscou o resultado no final da partida, já nos acréscimos, chegando ao seu segundo triunfo na competição.

O grande herói da partida foi o meia Marcinho. Sumido durante os 90 minutos regulamentares, o jogador apareceu nos acréscimos do segundo tempo para marcar o gol da vitória atleticana. Cléber Santana e Manoel fizeram para o time da casa no começo do jogo. Neymar, também no início, e Borges, já no segundo tempo, empataram. Mas no final prevaleceu a determinação dos paranaenses.

O resultado tira o Atlético-PR da lanterna do Brasileirão. A equipe chegou aos oito pontos, mesmo número do América-MG, mas possui uma vitória a mais – duas contra uma. Já o Santos chega à zona de rebaixamento, na 17.ª colocação, com 11 pontos, mas com três jogos a menos.

O JOGO – Apesar da forte chuva que caía em Curitiba, o primeiro tempo teve um início fulminante e, já aos 12 minutos, o placar apontava 2 a 1 para o Atlético-PR. Logo aos quatro minutos, o torcedor presente na Arena da Baixada presenciou um golaço. Cléber Santana invadiu a área, driblou quatro jogadores, quase foi atrapalhado por uma poça d’água, mas conseguiu finalizar no ângulo esquerdo de Rafael, abrindo o placar.

O gol animou o Atlético-PR, que ampliou quatro minutos depois. O zagueiro Manoel aproveitou uma boa cobrança de escanteio, subiu sozinho, na entrada da pequena área e cabeceou forte, sem chance para o goleiro santista.

A vantagem animou o torcedor paranaense, que via sua equipe finalmente apresentar um bom futebol. Mas, quando parecia que o time da casa poderia deslanchar e até chegar a uma goleada, o Santos diminuiu. Neymar aproveitou sobra na entrada da área, cortou dois marcadores e bateu no canto direito de Renan Rocha, para fazer um belo gol, aos 12 minutos.

Daí para frente, o ritmo do jogo diminuiu. Os jogadores demonstravam muita dificuldade em tocar a bola por conta das poças no gramado, principalmente na entrada da área do Atlético-PR, região mais castigada pela água.

Nenhuma das duas equipes conseguia criar boas oportunidades. Com isso, a última boa chance de gol no primeiro tempo só poderia sair de uma bola parada. Elano bateu bem falta sofrida por Neymar, mas Renan Rocha foi buscar, no ângulo direito, colocando a bola para escanteio.

O segundo tempo começou como terminou o primeiro: muito amarrado no meio-de-campo, com ambas as equipes com dificuldades para tocar a bola, ainda fruto da chuva que não dava trégua em Curitiba. Com isso, nenhuma chance foi criada nos primeiros minutos e a torcida diminuiu o ritmo junto com a partida.

Apenas aos 15 minutos, a primeira oportunidade. Paulinho recebeu bom passe de Morro Garcia, já dentro da área, e bateu forte. A bola passou à direita de Rafael, tocando a rede pelo lado de fora.

Mas quem chegou ao gol foi o Santos. Aos 18 minutos, Pará arrancou pelo lado direito e tocou para Borges, que estava de costas para a zaga. Com velocidade, o atacante girou para cima do zagueiro e bateu forte, de pé esquerdo, no canto direito do goleiro para fazer outro belo gol na partida e deixar tudo igual.

Continua após a publicidade

O gol deu novo ânimo ao jogo e o Santos quase virou dois minutos depois. A poça d’água traiu a zaga do Atlético-PR, Ganso aproveitou, roubou a bola e bateu forte, para a defesa de Renan. No rebote, Neymar bateu no travessão. Borges ainda tentou aproveitar a sobra com outro chute, mas foi bloqueado.

O ritmo da partida voltou a diminuir. O Atlético-PR ficava mais com a bola, mas não conseguia acertar o último passe. Já o Santos sofria com a falta de criatividade do meio-de-campo que tinha Paulo Henrique Ganso e Elano, vaiado pela torcida a cada vez que tocava na bola, muito apagados.

Quando parecia que o confronto terminaria mesmo em 2 a 2, brilhou a estrela do veterano Marcinho, ex-Corinthians, Palmeiras e Cruzeiro. Aos 46 minutos, ele aproveitou um cruzamento de Wagner Diniz, desviado por Rodriguinho, e tocou de cabeça no canto direito do goleiro. Festa da torcida do Atlético-PR, que com a vitória vê a equipe respirar um pouco no Brasileirão.

FICHA TÉCNICA:

Atlético-PR 3 x 2 Santos

Atlético-PR – Renan Rocha; Edilson (Wagner Diniz), Manoel, Fabrício e Paulinho; Deivid, Cléber Santana, Branquinho (Rodriguinho), Kleberson e Marcinho; Morro Garcia (Edigar Junio). Técnico: Renato Gaúcho.

Santos – Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Ibson (Rodrigo Possebon), Elano e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges. Técnico: Muricy Ramalho.

Gols – Cléber Santana, aos 4, Manoel, aos 8, e Neymar, aos 12 minutos do primeiro tempo. Borges, aos 18, e Marcinho, aos 46 minutos do segundo.

Árbitro – Marcelo de Lima Henrique (RJ/FIFA).

Cartões amarelos – Ibson, Elano, Edilson, Neymar, Rodriguinho e Durval.

Renda – R$ 445.610,00.

Público – 18.898 pagantes.

Local – Arena da Baixada, em Curitiba (PR).

Continua após a publicidade
Publicidade