Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Santos estreia no Mundial diante do surpreendente Kashiwa

O Santos, representante brasileiro no Mundial de Clubes, estreia na competição na quarta-feira em Toyota, às 8h30 no horário de Brasília, ao enfrentar na semifinal o surpreendente Kashiwa Reysol, campeão japonês, que eliminou o Monterrey mexicano no domingo.

O Monterrey era o mais cotado para enfrentar o ‘Peixe’, mas o Kashiwa, que jogava na segunda divisão japonesa no ano passado, levou sua torcida ao delírio ao derrotar os mexicanos nos pênaltis após ter empatado em 1 a 1 no tempo normal, com um golaço do brasileiro Leandro Domingues.

Apesar de o time japonês disputar o torneio em casa, o Santos é considerado o grande favorito do confronto e sua eliminação seria uma grande zebra.

Porém, os comandados do técnico Muricy Ramalho encaram o duelo com cautela para não correr o risco de repetir o fracasso do Internacional, que caiu na semifinais no ano passado ao perder por 2 a 0 para o Tout Puissant Mazembe de la República Democrática do Congo.

Esta foi a única derrota de um time brasileiro na competição, que teve três campeões na sua versão moderna, o Corinthians em 2000, o São Paulo em 2005 e o próprio Inter, que fez história ao superar o todo-poderoso Barcelona em 2006.

Neste ano, o Barça, campeão mundial em 2009, será o principal rival do Santos, que poderá enfrentar na decisão após enfrentar nas semifinais o Al-Saad, do Qatar, na quinta-feira.

O time praiano já tem dois títulos na versão antiga do torneio, a Copa Intecontinental, em 1962 e 1963, quando o Rei Pelé era a grande estrela da equipe.

“O mais importante é ser campeão. Queremos que o páis esteja orgulhoso de nós”, declarou o treinador Muricy Ramalho.

O Santos chegou no Japão na última quinta-feira e está concentrado no hotel em Nagoya, cidade vizinha de Toyota, onde disputará o jogo de estreia contra o Kashiwa.

Os jogadores sofreram muito com o frio e sempre apareceram nos treinos com gorros, luvas e agasalhos.

Muricy parece ter definido sua equipe titular, com Rafael no gol, Danilo e Durval nas laterais e uma dupla de zaga formada por Durval e Bruno Rodrigo.

O meio de campo deve ter três volantes, com Arouca marcando pela esquerda, Henrique no meio e Elano na direita.

Já na parte ofensiva, o meia Paulo Henrique Ganso deve ser responsável pela armação das jogadas para os atacantes Borges, artilheiro do último Brasileirão, e Neymar, grande craque do time.

O Santos disputará uma vaga na final contra um time repleto de compatriotas. Além do artilheiro Leandro Domingues, eleito melhor jogador do último Campeonato Japonês, o Kashiwa também conta no seu elenco com o veterano Jorge Vágner, de 33 anos, ex-meia do São Paulo, e é comandado pelo experiente técnico Nelsinho Baptista, campeão brasileiro em 1990 com o Corinthians.

Nelsinho que já teve passagens no Santos como jogador e treinador (em 2005), sabe que seus comandados terão que se superar para causar problemas ao campeão da Libertadores.

“É uma equipe com muitas qualidades, não será nada fácil. Eles têm grandes jogadores, mas não vamos desistir e queremos vencer, mas para isso temos que jogar melhor”, explicou, referindo-se ao jogo do domingo, quando o Kashiwa eliminou o Monterrey mexicano nos pênaltis.

O time japonês, que sagrou-se campeão da J-League no início do mês, estreou neste Mundial na última quarta-feira, quando derrotou por 2 a 0 o fraco Auckland City, da Nova Zelândia.

A partida será a última disputada em Toyota, já que a outra semifinal, a disputa pelo terceiro lugar e a grande decisão serão disputadas no estádio de Yokohama, palco da final da Copa do Mundo na qual a seleção brasileira sagrou-se pentacampeã em 2002.