Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Santos desencanta no fim e ainda leva o Inter ‘a tiracolo’ para as oitavas

Redação Central, 19 abr (EFE).- Foram necessários apenas três minutos e dois lances, no final do jogo, para que o Santos fizesse o torcedor esquecer da exibição preguiçosa do restante da partida e comemorasse uma vitória por 2 a 0 sobre o The Strongest, que garantiu a equipe paulista na liderança do grupo 1 da Taça Libertadores.

Com gols de Alan Kardec e Neymar, o Peixe alcançou os 13 pontos e agora espera o resultado do jogo entre Universidad do Chile e Nacional de Medellín para saber o rival das oitavas de final. Se perderem em casa, os chilenos entrarão no caminho do atual campeão. Em caso de empate ou vitória de La U, o adversário será o Bolívar.

Ainda sem rival nem datas de jogos nas oitavas de final definidos, o Alvinegro sabe apenas que fará a segunda partida do mata-mata como mandante.

A vitória santista ainda beneficiou o Internacional, que ficou com a segunda vaga da chave mesmo perdendo para o Juan Aurich no Peru. Se o The Strongest tivesse vencido na Vila, o Colorado teria sido eliminado.

O jogo na Baixada Santista começou morno, e a primeira boa chance do Peixe aconteceu apenas aos 12 minutos do primeiro tempo. Depois de tentativa de cruzamento de Juan, Neymar tocou para trás e Borges chegou batendo, encobrindo o travessão por pouco.

A equipe da casa teve mais a bola desde o início, mas engrenou mesmo apenas após os 30 minutos. Aos 35, Neymar partiu em velocidade e sofreu falta de Parada. Ele mesmo foi para a bola e acertou o canto esquerdo, mas o goleiro Vaca pulou até lá e impediu a alegria da torcida.

Dois minutos depois, Juan levantou da esquerda, Edu Dracena resvalou de cabeça e Borges acertou uma bomba de dentro da área, carimbando o travessão.

O lance animou o Santos, que levou perigo novamente aos 42 minutos, em mais uma jogada surgida da lateral. Agora foi Elano quem fez o chuveirinho e encontrou Dracena, que cabeceou tirando do goleiro. Penny foi batido, mas Cristaldo salvou o The Strongest em cima da linha.

Ainda antes do intervalo, aos 45, Elano cruzou mais uma, e o capitão do time acertou outra cabeçada. Vaca apenas observou e ‘tirou com os olhos’, vendo a bola passar perigosamente à direita.

Na volta dos vestiários, logo aos dois minutos, o goleiro boliviano deixou de ser torcedor e trabalhou bem. Apagado no jogo até então, Ganso foi acionado por Juan no meio e encheu o pé. Vaca pulou no canto direito e fez bela intervenção.

Sem correr riscos, mas atacando pouco, o Santos dependia de um lampejo de Neymar ou de algum outro jogador. O jovem atacante teve ótima chance para balançar a rede aos 14 minutos, quando partiu livre pela esquerda e se aproximou da área. Ele tirou do goleiro com um toque por cobertura, mas também tirou do gol e cedeu o tiro de meta.

O camisa 11 voltou a aparecer bem seis minutos depois, embora mais pela beleza da finalização que pelo perigo levado a Vaca. Depois de cruzamento da esquerda, ele matou no peito e deu uma linda bicicleta. O goleiro caiu no canto e encaixou.

Querendo o gol de qualquer maneira, Muricy trocou Henrique, que estava improvisado na lateral direita, pelo atacante Alan Kardec, que, no primeiro momento, fez a torcida pensar que a escolha foi equivocada. Aos 36 minutos, depois de bate-rebate na área, a bola sobrou limpa para o camisa 19, que isolou.

Entretanto, não demorou muito para que ele se redimisse, fazendo o que mais sabe, ou seja, gol de cabeça. Neymar cruzou da direita, o centroavante subiu mais que a defesa e acertou o canto esquerdo.

Ainda houve tempo para Neymar também deixar o dele. O atacante tabelou bonito com Borges no meio, invadiu a área e mandou no mesmo canto com um toque de classe, na saída do goleiro.

Ficha técnica:.

Santos: Rafael; Henrique (Alan Kardec), Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca (Ibson), Elano (Felipe Anderson e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges. Técnico: Muricy Ramalho.

The Strongest: Vaca; Parada, Marchesini, Méndez e Torrico; Soliz, Chumacero, Melgar (Lima), Cristaldo e Reyes (Ramallo); Pablo Escobar. Técnico: Eduardo Villegas.

Arbitragem: Julio Quintana (Paraguai), auxiliado por seus compatriotas Rodney Aquino e Hugo Martínez.

Cartões amarelos: Henrique e Adriano (Santos); Vaca, Reyes e Parada (The Strongest).

Gols: Alan Kardec e Neymar (Santos). EFE