Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Santistas misturam choro com orgulho, mas reconhecem méritos do Barça

Com uma atuação de gala, o Barcelona, da Espanha, goleou o Santos por 4 a 0, neste domingo, em Yokohama (Japão), se sagrando campeão do Mundial de Clubes da Fifa deste ano. E em Santos, a cidade que aguardava ansiosamente a chance de ver o terceiro título mundial da história do clube, misturava os seus sentimentos após a partida.

Tanto na saída da Vila Belmiro, onde foi transmitido o jogo pelo telão do estádio, quanto nas ruas, na praia e em estabelecimentos comerciais, nenhum torcedor questionava o triunfo do Barça. Praticamente todos os aficionados do Peixe reconheceram que os catalães dominaram o confronto e conquistaram o título com merecimento.

No final do jogo, na Vila, muitos torcedores cantaram o hino do clube e entoaram gritos de apoio ao time alvinegro, nos arredores do estádio. Outros, mais tristes, lamentavam ou choravam a oportunidade desperdiçada de concretizar o sonho da terceira estrela.

Mas, apesar de não haver uma revolta dos torcedores com a perda do título, o técnico Muricy Ramalho e o meia Paulo Henrique Ganso foram os mais questionados pelos torcedores.

Segundo muitos apaixonados pelo Santos, o treinador entrou em campo com uma formação muito cautelosa. Ganso, por sua vez, que se envolveu em uma polêmica em relação à venda de 10% dos seus direitos econômicos para o grupo DIS, durante o Mundial, também teve o seu desempenho na decisão questionado. O zagueiro Durval foi outro atleta cujo rendimento na final não agradou a boa parte dos torcedores.