Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sampaio admite limitação técnica, mas elogia vontade de Betinho

O atacante Betinho chegou ao Palmeiras em maio como uma aposta barata para ser o reserva imediato de Barcos. Com contrato apenas até agosto, o jogador não marcou gols nos três jogos que disputou, mas, mesmo assim, ganhou elogios do gerente de futebol do clube, César Sampaio, principalmente depois do desempenho na vitória por 2 a 0 sobre o Coritiba, na noite de quinta-feira, pela decisão da Copa do Brasil.

‘A melhor atuação dele foi contra o Coritiba. É um grande cara, que tem suas limitações técnicas, mas está totalmente envolvido com o clube, não ficou fora de nenhum treino. Na primeira semana, perdeu quatro quilos em três dias. Para nós, isso é gratificante’, afirmou.

Apesar de reconhecer a disposição do atacante, César Sampaio lembra que a garra não é a única característica importante para um jogador e explicou que o futuro do atleta será definido pelo técnico Luiz Felipe Scolari.’Não pode ser só esforço, tem a parte técnica também. Meu irmão é gente boa e aplicado, mas é ruim de bola. Mas vontade também pesa muito, porque, em uma final, a técnica fica em segundo plano, atrás de tática e esforço. O Felipão vai definir se ele fica’, ponderou.

A ideia do clube era colocar o garoto Caio como reserva imediato de Barcos, mas o jogador das categorias de base se lesionou. Sem dinheiro para investir, o Palmeiras contratou Betinho, que sofreu muitas críticas nos bastidores do clube, pois teve passagem apagada pelo São Caetano.

‘O Caio era artilheiro da Série A-2. Por isso, não queríamos investir no Betinho, mas estou muito feliz com o que ele vem fazendo até aqui. Colocou o desejo de fazer sucesso no Palmeiras acima de tudo. Está plantando para colher no futuro’, avaliou.

Ciente da pressão existente no clube, César Sampaio orientou o atacante a se proteger de críticas. ‘Ele se sujeitou a ganhar menos do que alguns da base para vir ao Palmeiras e tivemos uns papos interessantíssimos. Falei que as pessoas não o queriam aqui e que não acreditavam nele. Falei para não ler jornal e nem ver TV. Como dizem no filme, disse para ele não pedir para sair’, concluiu.